24.5 C
Serra
sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Negócios ligados a turismo nas praias devem crescer 40% neste verão, diz secretário

Leia também

Atenção | Acidentes travam trânsito na Serra e congestionamento é gigantesco na BR-101

A volta para casa de motoristas que precisam passar pela BR-101, Norte Sul e outras vias da Serra está...

PIB capixaba cai 12,2% no segundo trimestre, aponta Federação

A economia capixaba teve um recuo de 12,2% no segundo trimestre. O número da estimativa divulgada na última terça-feira...

Com isolamento social despencando, Serra registra três novas mortes e 112 casos de coronavírus em 24h

Sendo a segunda cidade do Espírito Santo com o maior número de casos confirmados e mortes por coronavírus, a...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Segundo Alessandre, dos 250 mil turistas esperados para este verão, de 120 a 130 mil irão pernoitar na rede de hotéis, pousadas, albergues e casas de veraneio na Serra. Foto: Reprodução Facebook

Tem mais gente nos balneários e na rede de hospedagem instalada na cidade este ano. A constatação é do secretário de Turismo, Esporte, Cultura e Lazer da Serra, Alessandre Motta, que na última quinta-feira (02) concedeu entrevista ao Tempo Novo. Alessandre disse que a maior parte dos turistas vem de Minas Gerais e que a ocupação dos leitos em hotéis, pousadas e albergues cresceu em relação à 2019. Disse ainda que o município melhorou planejamento de segurança e limpeza nas praias.  

A prefeitura estima que 250 mil turistas virão à Serra neste verão. Esse número representa as pessoas que pernoitam na cidade e também as que só passam o dia na praia e depois vão embora?

Sim, são dois tipos de turismo. Um é o daqueles que vêm de outros Estados ou municípios mais distantes para pernoitar. E tem um segundo que é do visitante que vem de município vizinho para passar o dia e retornar para casas no final da tarde.

Desse total, quantos devem ficar nos leitos da rede de hotelaria e pousada ou em casas de veraneio?

A nossa estimativa é de 120 mil a 130 mil turistas.

Em anos anteriores (2017, por exemplo) a Secretaria de Turismo informou que a expectativa era de receber 40 mil turistas na alta temporada. Por que essa conta deu um salto para 2020? 

Houve crescimento significativo em relação aos anos anteriores. Este ano conseguimos que 98% dos leitos de hotéis, pousadas e albergues fossem ocupados no Reveillón. No de 2019, a ocupação de foi de 85%. Isso significa que o trabalho de planejamento, divulgação da cidade e lançamento de novos projetos tem sido bem feito.

Quantos leitos há na rede de hotéis e pousadas na cidade (incluindo também os hotéis voltados para o turismo de negócios, que é mais forte na cidade)? 

Estamos trabalhando no levantamento e ainda não temos este número.

A Setur tem estimativa de quantos imóveis (casas, apartamentos e quartos) são alugados nos balneários para turistas durante o verão? 

De setembro pra cá começamos fazer levantamento. O número é muito grande, ainda não conseguimos definir o que é para veraneio e o que para o chamado aluguel definitivo. A previsão é que até o Carnaval o levantamento fique pronto. Estão incluídos nessa levantamento imóveis alugados via aplicativos.

De onde vem o turista que visita e pernoita na Serra durante o verão?

De 50 a 55% vem de Minas Gerais. Mas também tem muita gente de São Paulo e da Bahia. E até de outros países, Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile. Já encontramos ainda gente de Nova Guiné, Austrália. Dos capixabas, boa parte vem dos municípios das montanhas, Cariacica, Viana e Vitória.

Qual é o gasto per capta do turista de praia na cidade?

Ainda estamos fazendo esse levantamento. Mas já posso adiantar que varia conforme o balneário escolhido para a estadia. Por exemplo, o turista que fica em Manguinhos tem gasto diferente de quem se hospeda em Jacaraípe ou Nova Almeida.

Há estimativa de quanto dinheiro deve ser movimentado na economia da cidade com a alta temporada nas praias? 

Não temos essa estimativa ainda, mas há expectativa que os negócios ligados ao turismo de verão faturem até 40% mais que no ano passado. Pelo que levantamos até agora, o crescimento já foi de 30% na movimentação econômica em relação a 2019. Creio que isto ocorra porque o cenário econômico melhorou, mas também porque as ações de gestão nos balneários foram aprimoradas.

Quais ações?  

Na segurança o prefeito fez junto com as secretarias e com a Polícia um planejamento comum. Foi notório que tivemos um Reveillón mais seguro. Também foi feito planejamento com a Ceturb para por mais ônibus na virada e também nos finais de semana em janeiro. Os agentes de trânsito foram orientados para auxiliar nas informações turísticas. A limpeza está sendo feita diariamente nas praias e o recolhimento de lixo nos balneários também acontece todo dia. A partir de amanhã (03) teremos a Arena Procon para orientar o consumidor em Jacaraípe.

E o abastecimento de água?

Não chegou a ser conversado com a Cesan, até porque a companhia já tem um planejamento específico para o verão e na alta temporada do ano passado não tivemos problema de falta d’água.

Comentários

Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Mais notícias

PIB capixaba cai 12,2% no segundo trimestre, aponta Federação

A economia capixaba teve um recuo de 12,2% no segundo trimestre. O número da estimativa divulgada na última terça-feira (15) pela Federação das Indústrias...

Com isolamento social despencando, Serra registra três novas mortes e 112 casos de coronavírus em 24h

Sendo a segunda cidade do Espírito Santo com o maior número de casos confirmados e mortes por coronavírus, a Serra registrou, em apenas 24...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!