25.2 C
Serra
sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Município e Estado condenados por calote de benefício a atingido por chuva

Leia também

Moradores de Barcelona inauguram árvore de natal com festa e Papai Noel

Acostumados a não ter iluminação de natal pública na comunidade, alguns moradores de Barcelona com o apoio de comerciantes...

Bolsonaro sanciona lei que aumenta saque do FGTS para R$ 998

O limite do saque imediato das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) passou de R$...

Estado vai contratar professores em Designação Temporária com salário de até R$ 3.732

A Secretaria da Educação (Sedu) divulgou os editais com as normas do Processo Seletivo para contratação de professores em...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O Estado, o município de Serra e o Banestes foram condenados a conceder o “Cartão Reconstrução do ES”, benefício concedido às vítimas das chuvas que atingiram o Espírito Santo entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, a um homem que alega jamais ter recebido o auxílio. Com o cartão, o requerente teria o direito de receber R$ 2.500 como subsídio.

Os requeridos ainda foram condenados a conceder ao homem o benefício do auxílio emergencial, que também deixou de ser recebido por ele à época dos fatos.

De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça, o cartão é destinado a pessoas com renda familiar de até três salários mínimos, para cobertura de despesas com compras de móveis, eletrodomésticos e materiais de construção, ou outro bem ou mercadoria danificados, com o objetivo de restabelecer as condições mínimas de sobrevivência e dignidade.

O banco chegou a apresentar contestação alegando que o Município de Serra não teria colocado o nome do requerente na lista de beneficiados pelo Cartão Reconstrução ES, enviada e, como é responsável somente pelo repasse, não fez o pagamento.

Já o Estado, sustentando a mesma versão do banco, disse não ter responsabilidade nenhuma sobre o fato. O Estado ainda alegou que o Município deveria ter notificado a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos acerca do requerimento de recebimento do auxílio. No entanto, o Município disse em sua defesa que o impasse foi criado pelo requerente, uma vez que ele teria atualizado seu cadastro fora do prazo.

Comentários

Mais notícias

Bolsonaro sanciona lei que aumenta saque do FGTS para R$ 998

O limite do saque imediato das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) passou de R$ 500 para o valor do...

Estado vai contratar professores em Designação Temporária com salário de até R$ 3.732

A Secretaria da Educação (Sedu) divulgou os editais com as normas do Processo Seletivo para contratação de professores em Designação Temporária (DT) para atuar...

Acidente entre ônibus e caminhão deixa feridos na Serra

Na manhã desta quinta-feira (12), um ônibus e um caminhão se envolveram em um acidente na principal Avenida de Morada de Laranjeiras, na Serra....

Upa de Castelândia começa a funcionar neste domingo

Com um investimento de R$ 9 milhões, a Prefeitura da Serra vai inaugurar neste sábado (14), a Unidade de Pronto Atendimento (Upa) de Castelândia....

Você também pode ler

Conteúdo patrocinado

Comentários
javascript:void(0)
close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!