22.7 C
Serra
sexta-feira, 03 de julho de 2020

Mudança no PDM vai aumentar degradação ambiental, diz vereador

Leia também

Viviane Miranda fará segunda live solidária no dia 12 de julho

A cantora Viviane Miranda, moradora de Feu Rosa, na Serra, fará sua segunda live solidária no próximo dia 12...

Como fica o direito da gestante a um acompanhante no momento do parto durante a pandemia

O direito a um acompanhante durante o parto é garantido pela lei federal nº 11.108 de 2005 (lei do...

Serra ultrapassa oito mil casos confirmados de coronavírus e atinge 320 mortes

Seguindo na liderança de casos confirmados de coronavírus no Espírito Santo, a Serra já ultrapassou a triste marca de...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

 

Terreno aos pés do Mestre Álvaro na última grande cheia na região, em janeiro de 2014: áreas sensíveis podem ser ocupadas. Foto: Arquivo TN / Bruno Lyra

Conceição Nascimento

Aprovado na última segunda-feira (30) na Câmara de Vereadores, o Projeto de Lei 57/2016 que altera o Plano Diretor Municipal (PDM), recebeu críticas de alguns vereadores, entre eles o presidente da Comissão de Meio Ambiente, Auredir Pimentel (Rede). Ele usou a Tribuna da Casa para apresentar seu parecer contrário à votação do projeto no plenário, que na prática vai permitir a ocupação de áreas de preservação.

Caso das zonas alagadiças com solo de turfa no entorno do Mestre Álvaro, nas áreas perto dos polos Piracema e Jacuhy, onde inclusive deve passar o Contorno do Mestre Álvaro. “Vão liberar ocupação em áreas complicadas. Qualquer processo que tenha impacto ambiental tem que ser extremamente estudado para evitar erros futuros”, alerta Auredir.

O projeto foi votado ‘a toque de caixa’, com regime de urgência especial e votação no plenário no mesmo dia. Foram 18 votos favoráveis e cinco contrários. A autoria é do executivo, mas o projeto recebeu diversas emendas dos vereadores. Por conta das polêmicas ambientais, o Ministério Público Estadual chegou a recomendar que não fosse aprovado.

Já o vereador Basílio da Saúde (Pros), presidente da Comissão de Justiça, justificou. “Entendi que era apenas uma adequação à Lei federal, votei pela constitucionalidade da matéria. Se tiver algum impedimento ambiental compete à Secretaria de Meio Ambiente fazê-lo”, disse.

A secretaria de Comunicação da Prefeitura da Serra informou, por meio de nota, que “as alterações realizadas no Plano Diretor Municipal (PDM) da Serra estão em análise na Secretaria de Desenvolvimento Urbano”.

Comentários

Mais notícias

Como fica o direito da gestante a um acompanhante no momento do parto durante a pandemia

O direito a um acompanhante durante o parto é garantido pela lei federal nº 11.108 de 2005 (lei do acompanhante), que alterou a lei...

Serra ultrapassa oito mil casos confirmados de coronavírus e atinge 320 mortes

Seguindo na liderança de casos confirmados de coronavírus no Espírito Santo, a Serra já ultrapassou a triste marca de oito mil moradores infectados e...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!