Milhares de pneus a céu aberto em Limoeiro

0
A Prefeitura da Serra deu prazo até o próximo dia 17 para a retirada dos pneus do local, já o responsável diz que não tem foco de mosquito. foto: Fábio Barcelos
A Prefeitura da Serra deu prazo até o próximo dia 17 para a retirada dos pneus do local, já o responsável diz que não tem foco de mosquito. foto: Fábio Barcelos

Por Gabriel Almeida

Um depósito de pneus a céu aberto. Essa é a situação de um terreno que fica na rua Ilma Henriques, em Jardim Limoeiro. Mesmo com a população em desespero por causa do surto do mosquito Aedes aegipty, transmissor da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya, este local está com milhares de pneus que podem servir como criadouro para o inseto.

Isso é o que afirma uma moradora do bairro que não quis se identificar com medo de represálias. “Já denunciei várias vezes este verdadeiro foco de mosquito da dengue, mas nada é feito. Isso é um descaso com a saúde pública”, explica.

A popular ainda afirma que mulheres grávidas trabalham ao lado do terreno. “Mesmo com esse perigo da zika ninguém faz nada e o local continua cheio de pneus”, afirma.

O presidente da associação de Moradores de Jardim Limoeiro, Gilmar Nogueira, também está indignado com a situação. “Essa empresa recolhe pneus velhos de todo o Espírito Santo e leva para Minas Gerais para fazer asfalto”, afirma.

A reportagem entrou em contanto com a Prefeitura da Serra que disse que a Fiscalização Ambiental esteve no local na última segunda-feira (07) e notificou os responsáveis para que retirem o material em até 10 dias.

A prefeitura ainda afirmou que através de diversas secretarias, está realizando uma força-tarefa para o enfrentamento do mosquito Aedes aegypti e que na próxima semana esses mutirões serão ainda mais intensificados com o apoio do Exército.

O responsável pelo terreno, João Dias, disse que não existe nenhum foco do mosquito Aedes aegipty no local. “Todos os dias chega e sai pneus aqui do depósito. Não fica nada parado para dar moradia para o inseto aqui”, afirma.

De acordo com João o houve um pequeno acúmulo de pneus no local devido à greve de caminhoneiros. “Só as pessoas que não conhecem nosso trabalho que denunciam, pois sempre tem fiscalização aqui”, explica.

Disque Dengue

A Vigilância Ambiental em Saúde (VAS) mantém os serviços do Disque Dengue de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas. O morador que quiser realizar alguma denúncia sobre focos de mosquito da Dengue, sem se identificar ou pedir alguma ajuda, deve ligar para o telefone 3228-5394 que os agentes de combate a endemias visitam o local.

 

 

 

Comentários