Serra PodcastTEMPO NOVO
Uma nova forma de se comunicar

Manato quer escolas cívico-militares na Serra, propõe bondinho no Mestre Álvaro e tirar Materno Infantil da Prefeitura

-

Nesta terça (28), em mais um episódio do Serra Podcast, o convidado da vez foi o ex-deputado federal e pré-candidato a governador, Carlos Manato. Seguidor do atual presidente Jair Bolsonaro, Manato deu fim aos boatos de que sua pré-candidatura poderia ser inviabilizada e afirmou ser um dos 23 escolhidos como cabeça de chave para montagem de palanque do presidente nos estados.

A filiação no PL (Partido Liberal) confirmou o alinhamento com o pré-candidato ao senado, Magno Malta, que lidera a sigla no ES. Manato citou projetos na área da segurança pública, afirmou que a redução no número de homicídios na Serra tem ligação direta com a diminuição nacional de assassinatos, relacionando este dado com o maior acesso a armas de fogo no Brasil estimulado pelo presidente.

O ex-deputado federal, ainda disse que vai aumentar o salario de policiais e reforçar o efetivo com novos concursos públicos Ele também elencou a implantação de uma gratificação aos policias que realizam serviços externos (na rua), como uma espécie de ganho por periculosidade.

Questionado sobre a saída dos médicos cubanos da Serra e a lacuna deixada na saúde pública do município, Manato apontou que a responsabilidade da atenção primária é do município e classificou como um erro a municipalização do Hospital Materno Infantil.

“Se a atual gestão da prefeitura largasse a responsabilidade do Materno Infantil, que não é deles, e focasse na atenção primária, teriam cerca de R$ 5 milhões/mês para investir na ausência de médicos em todas as unidades de saúde municipais. A Serra só tem 50% de cobertura na saúde, o ideal é ter 100%” indicou Manato, que ainda teceu duríssimas críticas ao prefeito Sérgio Vidigal, do qual é um desafeto antigo.

Quanto à educação, o pré-candidato não escondeu a vontade de colocar em prática a implantação de colégios Cívicos Militares, no qual, na visão do pré-candidato: “o professor voltaria ser a autoridade da sala na prática”. Ele disse também que irá pressionar as prefeituras na alfabetização até os 6 anos de idade e prestar apoio psicológico para pais, professores e alunos na contratação de assistentes sociais e psicólogos para atuarem em colégios estaduais, com objetivo de investigar indícios de agressão e pedofilia, por exemplo. Ele voltou a criticar casos caracterizados por ele como ‘ideologia de gênero’.

Quanto ao turismo, Manato não teve filtros e apontou o potencial não só na Serra, mas em todo o Estado, que na opinião dele, tem sido desperdiçado.

“Não há teleférico no Mestre Álvaro, no Convento da Penha e nem no Morro do Moreno. Pensando rapidamente aqui, se acontecer por acaso de desmatar 1.000 árvores em um projeto para a construção de um teleférico, 10.000 seriam reflorestadas para compensar. Nos últimos dias foi indicado que no Espirito Santo inteiro há duas lagoas azuis, e uma dessas é na Serra, mas não ocorre investimento para apropriar isso ao turismo de forma eficaz”, ressaltou Manato.

Ele ainda disse que não acredita nas pesquisas eleitorais que apontam uma vantagem nas intenções de votos do ex-presidente Lula; disse que a esquerda “quer atrapalhar o Brasil” e classificou os investimentos do Governo do Estado, como “eleitoreiros”.

OUTROS EPISÓDIOS

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!