26.6 C
Serra
terça-feira, 25 janeiro - 2022
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

Konshaça, tradicional banda de congo da Serra, será imortalizada em documentário

Leia também

Filiação do senador Fabiano Contarato ao PT será virtual nesta sexta (28)

  Será de forma híbrida a filiação do senador Fabiano Contarato ao PT, neste dia 28. As informações dão conta...

Estado vai fiscalizar laboratórios privados sobre irregularidades em notificações de Covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) está notificando as Vigilâncias Sanitárias Municipais para procederem a fiscalização de laboratórios...

Descubra por que Bicanga tem se tornado a queridinha dos investidores

Localizada no litoral da Serra, bem perto de Manguinhos, Bicanga tem despontado como uma das regiões de investimentos de...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

A Konshaça é a banda que mais participou de festejos tradicionais da Serra e foi fundada em 1980. Foto: Vitor Bianco

A tradicional banda de congo da Serra Konshaça será imortalizada por meio de um documentário que será lançado na próxima quinta-feira (21).

Intitulado ‘Konshaça a Irreverência do Congo’ tem a chancela da cineasta serrana Suzi Nunes e do cinegrafista Benevides Correia e será apresentado em evento na Associação das Bandas de Congo da Serra, na rua Benedicta do Nascimento, nº 21, no bairro São Domingos, região da Serra Sede.

O documentário vai conter depoimentos e imagens de arquivo sobre a Konshaça. “Esta é a banda que mais participação tem nos festejos serranos. Esta é também uma forma de homenagear e perpetuar a história do grande mestre Professor José Carlos Miranda, um representante da história e tradição do município da Serra”, relata Suzi Nunes, responsável pela direção e roteiro.

A Konshaça foi fundada em 1980 e é uma das mais tradicionais bandas de congo do município da Serra´. A sua história é um riquíssimo depoimento de como o amor e as tradições conseguem se perpetuar por gerações.

A banda começou com um grupo de amigos que se encontrava em um bar no Centro da Serra para o abastecimento etílico que antecede a saída do cortejo nos dias dos festejos a São Benedito nos tradicionais festejos de final de ano da Serra. “Através dos depoimentos dos fundadores vamos conhecer a história e as estórias desta que é a mais irreverente banda de congo do município, e os recortes da manifestação mais tradicional do Espírito Santo”, adiantou Suzi.

A cineasta disse ainda que falar em cultura não é tão complicado. “Envolve quase tudo que nos rodeia, mas fazer acontecer, praticá-la, envolver as pessoas e conseguir manter a cultura viva, não é tão fácil assim”, conta.

De acordo com Suzi, o objetivo de escolher retratar a Konshaça se justifica basicamente pelo fato de ser preciso incentivar e prestigiar aqueles que desenvolvem a arte no município. “Divulgar, fazer com que todos tenham acesso ao fazer popular de um grupo que tem um estilo totalmente informal com sua bandeira fincada na sede da Serra”.

O documentário foi realizado com subsídios financeiros recebidos da lei de emergência cultural – Lei Aldir Blanc.

Confira algumas fotos da Konshaça – Fotógrafo: Vitor Bianco

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!