25 C
Serra
quarta-feira, 02 de dezembro de 2020

Gripe Influenza contamina 11 pessoas e mata dois moradores da Serra

Leia também

Serra poderá ganhar mais uma vaga na Assembleia Legislativa

O resultado da eleição 2020 impactou na composição da Assembleia Legislativa. E com as mudanças a Serra pode alcançar...

Habilitações vencidas em 2020 terão um ano a mais de validade

Está em vigor, a partir de hoje (1º), a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que restabelece os prazos...

Matrículas abertas para novos alunos em creches da Serra

A pandemia causada pelo coronavírus fez com que todas as cidades brasileiras suspendessem as aulas presenciais. Mesmo assim, as...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Muitos casos são atendidos nas Unidades de Pronto Atendimento da Serra (UPAs). Foto: Arquivo TN

Em meio à pandemia causada pela Covid-19, outro vírus também traz preocupação para a Saúde do Município. Trata-se da gripe comum, que já infectou 11 moradores da Serra este ano – sendo dois de H1N1, a conhecida gripe suína. A doença é grave e pode levar o paciente a morte, tanto que só este ano, a Influenza já matou duas pessoas na cidade. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde (Sesa) que já realizou a Campanha Nacional de Vacinação, em parceria com o Ministério da Saúde, em 2020.

Segundo as informações repassadas pela Sesa, de janeiro a agosto deste ano, foram 11 casos de influenza, sendo dois casos de H1N1. Também foram registrados dois óbitos por gripe, mas nenhum por H1N1, que é conhecida popularmente como supergripe. Apesar dos dados serem preocupantes, são bem menores do que os registrados no ano passado, quando foram 24 casos de influenza, sendo 9 casos de H1N1. Já o número de mortes foi o mesmo: dois óbitos, mas a diferença é que um foi por H1N1 em 2019.

Conforme noticiado pelo TEMPO NOVO, este ano, o Ministério da Saúde decidiu antecipar a Campanha Nacional de Vacinação contra gripe, que já foi finalizada. A medida foi tomada, pelo então ministro da Saúde, Luiz Carlos Mandetta, para auxiliar os profissionais de saúde a descartarem as influenzas na triagem e acelerarem o diagnóstico para o coronavírus, que afetou o mundo inteiro e continua matando quase mil pessoas por dia no Brasil.

Segundo especialistas, o vírus da gripe (Influenza) propaga-se facilmente e é responsável por elevadas taxas de hospitalização. Idosos, crianças, gestantes e pessoas com doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, ou imunodeficiência são mais vulneráveis aos vírus.

Se não for tratada a tempo, a gripe pode causar complicações graves e levar à morte, principalmente nos grupos de alto risco, como pessoas com mais de 60 anos, crianças menores de cinco anos, gestantes e doentes crônicos.

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Audifômetro: faltam 30 dias para o fim do governo Audifax na Serra
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!