23.7 C
Serra
sábado, 16 outubro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

Fé na humanidade | Psicólogos voluntários oferecem ajuda para profissionais do Jayme que tratam Covid

Leia também

Câmara da Serra lança campanha para arrecadar e distribuir absorventes íntimos

A discussão sobre pobreza menstrual mobilizou a Mesa Diretora da Câmara da Serra. O presidente da Casa, vereador Rodrigo...

Serrana consegue anular dívida de R$ 14 mil após procurar ajuda no Procon-Ales

Com base na Lei 11.353, de autoria do deputado Vandinho Leite, que diz que moradores atuais das residências não...

Vidigal anuncia programa para castração e recolhimento de cães e gatos no município

O prefeito da Serra, Sérgio Vidigal, anunciou na tarde desta sexta-feira (15) que está criando, por meio da secretaria...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Os profissionais de saúde que atuam na linha de frente da Covid-19 estão exaustos e muitos deles psicologicamente abalados com as cenas vividas durante a pandemia dentro dos hospitais. Pensando em prestar auxílio, principalmente aos profissionais do Hospital Jayme Santos Neves, de Morada de Laranjeiras, que é referência no tratamento da doença no Espírito Santo, um projeto social está oferecendo atendimento psicológico para estes trabalhadores de forma gratuita e voluntária.

Trata-se do projeto de auxílio em saúde mental o psicólogo Walter Louzada Belidio de Moraes. “Não será feita distinção de cargo ou posto dentro das instalações do hospital, desde os funcionários que realizam manutenção, limpeza das instalações, até enfermeiros, auxiliares e quem mais precisar deste tipo de atendimento. O projeto está pronto para ajudar profissionais de todas as áreas que atuem dentro do Jayme. O atendimento será realizado por psicólogos voluntários em regime de atendimento on-line, previsto e autorizado pelo CRP – 16 e CFP”, conta o idealizador do projeto.

As inscrições para os interessados em obter o auxílio gratuito podem ser feitas mediante comprovação do trabalho realizado no hospital (carteira de trabalho ou contracheque, por exemplo).

Walter conta que todos os psicólogos envolvidos no projeto são voluntários e não receberão quaisquer bônus, salários, ajuda de custo, nem pagamentos realizados por planos de saúde. “Estão disponibilizando parte do seu tempo de atendimentos particulares para que o projeto seja possível de ser realizado. Sendo assim cada psicólogo disponibilizará de uma agenda, previamente anunciada de possíveis horários para atendimento. É fato que inicialmente a demanda por atendimento vai ser superior à demanda de horários, mas já estamos procurando novas parcerias (inclusive fora do Estado do ES) para que outros voluntários façam parte do projeto e consigamos atender se possível a demanda dos 100% de funcionários do hospital que entendem necessitar de ajuda para sua saúde mental neste tempo tão delicado”.

As inscrições poderão ser feitas por email, tanto do interessado no atendimento, quanto do psicólogo que queira ajudar. “Será disponibilizado um e-mail, para que o interessado da vaga possa descrever de forma simplificada em uma ficha pré-elaborada  sua necessidade, descrevendo elementos importantes tais como o uso de medicamentos psiquiátricos e demais medicamentos de uso contínuo, tal atitude irá ajudar na escolha dos casos mais graves e que necessitam de uma atenção mais urgente. Toda e qualquer informação repassada por esse canal será tratada como sigilosa por parte da triagem e do profissional que irá dar continuidade ao atendimento, assim como é previsto no código de ética dos conselhos de Psicologia”.

O email para os interessados se inscreverem é o [email protected]. “Quando mandarem o e-mail receberão a ficha de avaliação de análise para realizarmos a triagem inicial”, explica o psicológo.

Segundo Walter a saúde mental não é tratada apenas com processo terapêutico ou intervenções medicamentosas. “Em uma boa parte das vezes, dependendo da gravidade, da patologia, as duas precisam andar juntas, ou seja, psicólogo precisa em muitos casos trabalhar juntamente com um psiquiatra, e vice-versa para o acampamento dos casos. Sendo assim, apesar de não haver uma responsabilidade direta do nosso projeto com o setor psiquiátrico, mas por entender que sem essa ajuda muitos podem ser prejudicados e não alcançarem o patamar máximo de ajuda, estamos tentando junto a médicos psiquiatras o mesmo tipo de parceria voluntária desenvolvido com os psicólogos, mas entendemos que esse tipo de parceria poderá ser mais demorados”.

Todos os atendimentos serão registrados e guardados confidencialmente por um período de 5 anos, e somente podem ter acesso a tais informações os próprios pacientes, ou pessoas devidamente autorizadas por estes, bem como os médicos psiquiatras envolvidos em cada caso.

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!