• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 68.100 casos
  • 1.417 mortes
  • 66.111 curados
23.7 C
Serra
sexta-feira, 23 julho - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 68.100 casos
  • 1.417 mortes
  • 66.111 curados

Falta de manutenção no Contorno revolta prefeitos e empresários

Leia também

Estudo inglês demonstra que segunda dose de vacinas é essencial contra a variante delta

Mais um estudo demonstra a necessidade da segunda dose da vacina contra a Covid para que a proteção seja...

Gleisi Hoffman vem ao Estado para contribuir na formação de uma frente pró-Lula

  Com o avanço da popularidade de Lula no Espírito Santo e retomada do ex-presidente na preferência dos eleitores capixabas,...

Conheça a obscura e milionária história do TIMS, o maior calote que a população da Serra já tomou

    Localizado as margens da Rodovia do Contorno, é inegável a importância econômica e de geração de empregos do TIMS...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br
Gabriel Almeida é jornalista do Tempo Novo há mais de sete anos. Atualmente, escreve para diversas editorias do jornal.

Perigo. Um dos buracos próximo ao Serviço de Atendimento ao Usuário da Eco-101 no trecho da Serra da rodovia do Contono
Perigo. Um dos buracos próximo ao Serviço de Atendimento ao Usuário da Eco-101 no trecho da Serra da rodovia do Contorno. Foto: Bruno Lyra

Clarice Poltronieri

Buracos, remendos e muitas ondulações na pista. É o que os motoristas enfrentam em boa parte dos 26 km rodovia do Contorno de Vitória, que integra os trechos sul e norte da BR 101 no ES, hoje sob concessão da Eco 101, que cobra pedágio em sete pontos da BR desde maio de 2014.

Além da fluidez ao tráfego nacional de cargas que vai pela BR 101, o trecho é fundamental para o setor logístico do ES, cujo principal parque fica entre Serra e Cariacica, além da distribuição de alimentos via Ceasa. Por essas razões, a falta de manutenção vem gerando queixas dos prefeitos das duas cidades e de empresários.

“A via está em péssimo estado. Nenhum veículo usa a faixa da direita que está muito danificada, o que a deixa perigosa. É como se só tivesse uma pista. Perto da Ceasa tem uma passarela abandonada, assim como em toda a via”, critica o presidente da Ceasa, José Carlos Buffon.

Empresários de logística também reclamam. “A rodovia tem vários problemas e ninguém sabe de quem é a responsabilidade, se é do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte) ou da concessionária Eco 101. Está na hora de haver uma intervenção direta”, diz o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas e Logística no Espírito Santo (Transcares), Liemar José Pretti.

Ele pontua que o prejuízo material do empresariado é grande e ainda corre risco de manchar a imagem das empresas perante a população, por conta dos acidentes e da possível perda de vidas humanas.

A Eco101 informou, via assessoria de imprensa disse que o Contorno ainda não foi transferido oficialmente para a concessionária, por isto diz que não pode investir no trecho. Mas instalou uma passarela de pedestre no trecho e um serviço de atendimento ao usuário, ambos no trecho da Serra. Sobre isto a assessoria disse que a Eco atendeu exigência da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

A concessionária diz ainda que roça, limpa canaletas e faz operação tapa – buraco na via. Responsável pela concessão, a ANTT, também por sua assessoria, se limitou a dizer que a Eco reparou um dos trechos esburacados na última quinta (18). A situação também gera reclamações dos prefeitos de Cariacica, Geraldo Luzia Junior (PPS) e da Serra, Audifax Barcelos (Rede), que cobram mais investimentos do Eco 101 e fiscalização da ANTT.

 

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br
Gabriel Almeida é jornalista do Tempo Novo há mais de sete anos. Atualmente, escreve para diversas editorias do jornal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!