21.1 C
Serra
sábado, 16 de novembro de 2019

Fábrica de vidro investe R$ 7 milhões na Serra

Leia também

Óleo já está em Nova Almeida e Jacaraípe e ameaça também água de serranos

Aconteceu. O petróleo que contamina há mais de dois meses a costa do Nordeste chegou às praias da Serra....

Você adoça seu cafezinho?

Considerando que você utilize um sachê tradicional de 5 gramas por xícara e por dia consuma 3 xícaras de...

Barro na água faz Cesan interromper abastecimento na Serra

Os moradores da Serra, Fundão e Viana  vão ficar sem água nesta sexta-feira (15). Isto porque tem muito barro...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

A empresa serrana Viminas Vidros Especiais apresentou ao mercado uma linha totalmente automatizada para produção de vidro laminados. O investimento é pioneiro no estado e chega a R$ 7 milhões. O objetivo é melhorar a produção e atender demanda por chapas com dimensões maiores.

Com a novidade, a empresa terá impactos positivos na produtividade e qualidade dos vidros. Os produtos são vendidos para Espírito Santo, Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais e parte de São Paulo. As operações são feitas por meio das filiais localizadas em Campos dos Goytacazes (RJ), Eunápolis (BA) e Belo Horizonte (MG). Aqui no Estado, possui filiais em Vitória e Vila Velha. Os pedidos saem todos do parque industrial localizado no Civit II, na Serra.

“A nossa nova linha de laminados é da Bottero, com uma autoclave da Italmatic. Ambas são de origem italiana. Investimos no que há de melhor. Com ela, conseguimos laminar uma chapa de vidro em 90 segundos. A capacidade de produção dela é de 35.000 metros quadrados de vidro laminado por turno de produção por mês. A performance da empresa no mercado será otimizada, e o produto, graças à tecnologia empregada, ficará ainda melhor”, destacou o gerente industrial da empresa, Rafael Ribeiro.

O diretor-presidente da empresa, Maurício Ribeiro, comentou sobre a capacidade de fazer investimentos, mesmo durante a crise que afeta a economia de modo generalizado. “É, sim, um grande investimento, mas feito com recursos próprios. É um grande passo para que a empresa chegue ao final da crise com bases mais fortes”, destacou.

Comentários

Mais notícias

Você adoça seu cafezinho?

Considerando que você utilize um sachê tradicional de 5 gramas por xícara e por dia consuma 3 xícaras de café, seu consumo diário de...

Barro na água faz Cesan interromper abastecimento na Serra

Os moradores da Serra, Fundão e Viana  vão ficar sem água nesta sexta-feira (15). Isto porque tem muito barro na água  e a alta...

Chuva alaga Vale e eleva risco de vazamento de rejeitos em Tubarão

Localizada na divisa entre Serra e Vitória, a planta industrial de Tubarão da Vale também não escapou dos alagamentos que atingem o ES por...

Fortes chuvas deixam 72 pessoas desalojadas no ES

Apesar de não ter causado grandes estragos na Serra, as fortes chuvas que estão caindo no Espírito Santo desde a madrugada da última quarta-feira...

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
javascript:void(0)
close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!