• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados
25.4 C
Serra
quinta-feira, 13 maio - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados

Estátua de Chico Prego será reestruturada e fixada em pedra nativa retirada do Mestre Álvaro

Leia também

Lixão em Novo Porto Canoa tira sono de moradores que pedem providência

Um imenso lixão está se formando na Avenida Amazonas, em Novo Porto Canoa, no terreno que fica em frente...

Festival apresenta 12 atrações musicais capixabas de diferentes estilos e linguagens

Doze atrações musicais capixabas com performances que entregam grito por diversidade e liberdade. E mais: dança, rock, fala, hip...

De mochilão e bicicleta, amigos vem pedalando da Argentina para conhecer belezas da Serra

Imagine conhecer o litoral brasileiro dando muitas pedaladas? Uma aventura e tanto, não é? Em busca da liberdade e...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O secretário de Cultura da Serra, Thiago Carreiro, acompanhou a retirada da estátua ao lado do artista Tute e da presidente do Conselho de Cultura da Serra, Fernanda Vieira. Foto: Edson Reis

Entregue a população da Serra em 02 de janeiro de 2006, a estátua de Chico Prego – herói da Insurreição do Queimado, irá passar por uma reestruturação nos próximos 15 dias. A escultura feita pelo artista plástico Jacob Kuster, o Tute, fica na Praça Almirante Tamandaré, na Serra, local onde o mártir fora enforcado, segundo historiadores.

O projeto, contemplado pela Lei Aldir Blanc, começou a ser feito no sábado (1) quando aconteceu a remoção da estátua. Segundo a Prefeitura da Serra, a primeira etapa da reestruturação do monumento consiste na remoção da estátua do chão para fixação em pedra nativa. Já para a próxima semana, a previsão é iniciar a restauração.

Segundo o secretário de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer da Serra, Thiago Carreiro, a Insurreição do Queimado é um marco histórico da luta contra a escravidão no Brasil.

“Uma batalha com centenas de escravos mortos, Chico Prego foi um grande líder, e por isso foi aprisionado e enforcado em praça pública por acreditar que todos merecem a liberdade.  A estátua de Chico Prego representa bem os Heróis do Queimado, uma história tão rica que merece ser contada para o mundo e motivo de orgulho para todos que vivem na Serra e agora está ficando ainda mais importante nas mãos do nosso artista plástico autodidata Tute, a obra na gestão do nosso prefeito Sérgio Vidigal, ficará ainda mais imponente sobre uma pedra nativa que seria implodida nas obras do Contorno Mestre Álvaro”, destaca Thiago.

Tute é morador da Serra Sede e foi ele o artista plástica que deu vida a Chico Prego por meio da estátua. É ele também que fará o restauro. Foto: Edson Reis

O secretário ressaltou ainda o papel fundamental do Conselho de Cultura, na aprovação e acompanhamento do restauro.

A presidente do Conselho de Cultura da Serra, Fernanda Vieira explica que a estátua estava presa ao chão e correndo risco, uma vez que na estrutura havia acúmulo de água. “O projeto inicial previa a fixação dela em pedra nativa. É o que estamos fazendo neste momento. Além de segurança, ganhamos em imponência”, disse.

Para Fernanda, restaurar a estátua é preservar a memória da Serra. “Mantemos assim viva a memória e o patrimônio que é muito representativo para a cidade. Uma estátua totalmente restaurada certamente vai fomentar o nosso turismo”, declarou.

Tute, artista responsável pelo restauro da estátua, se disse muito feliz em poder participar do projeto. “Principalmente porque vamos conseguir colocar ela na pedra, como constava na origem. Dentro de 15 dias esperamos concluir. A estátua estava precisando desse restauro em virtude da ação do tempo. O projeto é muito importante”, destacou.

Chico Prego foi ao lado de Elisiário Rangel e João da Viúva os líderes da Revolta de Queimado, uma revolta de escravos ocorrida em 19 de março de 1849. Conta a história que o Frei Gregório Maria de Bene prometeu a liberdade aos escravos em troca da construção da igreja de São José do Queimado, o que não aconteceu a revolta, considerada a mais importante do Espírito Santo e uma das maiores do Brasil.

A Igreja que tem 172 anos de história, teve suas ruínas recentemente restaurada e é tombada pelo Conselho Estadual de Cultura desde 1993 como patrimônio histórico capixaba. Desde que foi restaurada a igreja tem sido palco, inclusive para casamentos e clipes de cantores. O sítio histórico fica na região rural do município.

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!