23.9 C
Serra
quarta-feira, 03 de junho de 2020

Energia sai de graça 4 anos após instalar placas solares

Leia também

Movimento Negro quer Lockdown com urgência no ES

Em carta aberta, representantes do Movimento Negro do ES pedem ao Governo do ES medidas para minimizar os efeitos...

Lojistas de Laranjeiras marcam novo ato por reabertura total do comércio

Um grupo de lojistas de Laranjeiras promete fazer na manhã desta quarta-feira (03), mais um ato pela abertura total...

Assaltos a mão armada em Chácara Parreiral assusta moradores

  Moradores de Chácara Parreiral reclamam da quantidade de assaltos que tem acontecido no bairro. Segundo eles, roubos e assaltos a...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Os jovens serranos Renahn e Pedro Henrique acabaram de criar a Eletroarte e já instalaram placas em Cachoeiro de Itapemirim. Foto: Fábio Barcelos
Os jovens serranos Renahn e Pedro Henrique acabaram de criar a Eletroarte e já instalaram placas em Cachoeiro de Itapemirim. Foto: Fábio Barcelos

Por Thiago Albuquerque

Para uma casa de família de classe média onde moram de quadro a seis pessoas, com intenso consumo de eletrônicos, incluindo ar condicionado, um investimento entre R$ 45 mil e R$ 50 mil em placas de energia solar pode zerar a conta de luz a partir do 4º ano após a instalação. É o que apontam especialistas na área que preveem uma explosão no mercado de sistema de captação de energia pela luz solar na Serra nos próximos anos, tendência que deve acontecer em todo o país.

Edson Vander é representante Bluesun Solar do Brasil, empresa de São Paulo que já tem clientes na Serra. “Começa tudo com um sistema personalizado, que vai atender de acordo com a quantidade de cada casa ou comércio, com isso pode variar o prazo do retorno, os orçamentos são feitos após um estudo dos últimos 12 meses de consumo da residência para calcular o necessário de placas. Fiz um orçamento que iria gerar 850 KW por mês com 24 placas, em um valor em torno de R$ 49 mil, mas há possibilidade de financiamento bancário e também desconto à vista”, detalha.

Segundo Edson com essa quantidade de energia daria para atender uma casa de quatro a seis moradores de classe média e que já a partir do 4º ano após a instalação é possível recuperar o investimento, já que o consumidor não vai precisar mais pagar a conta da Escelsa.
E de olho no crescimento desse mercado, dois serranod resolveram empreender. Pedro Henrique Coutinho e Renahn Pazini Marim, ambos de 25 anos, acabaram de fundar a Eletroarte. E o primeiro serviço deles foi a instalação da energia solar numa casa em Cachoeiro de Itapemirim.

“Tive oportunidade de participar de um curso de Aplicações de Sensores na Holanda, onde desenvolvi um projeto de medição de energia solar e me identifiquei, é a energia do futuro, pois é sustentável”,  salienta Pedro.

“O preço alta da energia elétrica está fazendo a produção própria ser muito atrativa. “O custo do sistema varia de acordo com o lugar e também com fatores como posição e o tipo de telhado. Existem créditos específicos para financiamento de sistema solar no Banco do Brasil, Santander e Caixa Econômica”, enumera Renan.

 

Comentários

Mais notícias

Lojistas de Laranjeiras marcam novo ato por reabertura total do comércio

Um grupo de lojistas de Laranjeiras promete fazer na manhã desta quarta-feira (03), mais um ato pela abertura total do comércio. Um dos articuladores da...

Assaltos a mão armada em Chácara Parreiral assusta moradores

  Moradores de Chácara Parreiral reclamam da quantidade de assaltos que tem acontecido no bairro. Segundo eles, roubos e assaltos a mão armada tem acontecido com...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!