27.7 C
Serra
sábado, 28 maio - 2022
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

Empresa nega que tenha feito processo seletivo do Materno Infantil só para convidados: “vagas para cadastro reserva”

Leia também

Campanha de segurança de trânsito alcança 3 mil serranos

Desde o inicio deste mês, o Departamento Operacional de Trânsito (DOT), tendo em vista a campanha de conscientização de...

Polícia prende suspeitos de roubar carro com bebê e criança na frente de creche na Serra

A Policia Civil, por meio da Divisão Especializada de Furtos e Roubos de Veiculos, prendeu em flagrante um dos...

Lei torna hediondo crime praticado contra menores de 14 anos

O Presidente Jair Bolsonaro sancionou a Lei 14.344/2022 que cria mecanismos para a prevenção e o enfrentamento da violência...
Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Alguns dos centenas de candidatos ao processo seletivo que foram até Vitória, mas não puderam participar de seleção. Foto: Divulgação

A Santa Casa da Misericórdia – Organização Social que vai administrar o Hospital Materno Infantil da Serra – causou polêmica nesta segunda-feira (17) ao supostamente realizar um processo seletivo somente para convidados. Através de mensagens enviadas pelo WhatsApp para um grupo restrito de pessoas, a instituição convidou técnicos de enfermagem que poderiam ser contratados para atuarem na maternidade da Serra caso enviassem currículos por e-mail e comparecessem em Vitória na manhã de hoje; o que a empresa nega ter feito.

A informação de que o processo seletivo iria ocorrer nesta segunda-feira foi divulgada pelo Jornal Tempo Novo na noite de último domingo (16), após confirmação de fontes da reportagem. Até então, a Santa Casa não havia informado que estaria realizando um processo seletivo limitado para algumas pessoas, já que o Materno Infantil é um hospital público.

A instituição não divulgou edital do processo seletivo, tampouco detalhou como seria feita as avaliações e contratações. Essa falta de informação fez com que centenas de pessoas fossem até a Pró Matre, em Vitória, na manhã de hoje para tentarem uma oportunidade de emprego.

Moradores da Serra que foram até o local escolhido pela empresa para a contratação ficaram revoltados. Um deles, ouvido pela reportagem, mas que preferiu não se identificar, afirmou que parecia estar ocorrendo um direcionamento das vagas. “Nós fomos até lá e demos com a cara na porta. Quando chegamos, uma atendente disse que somente quem foi convidado e confirmado poderia tentar uma vaga; os demais precisariam voltar para suas casas”, detalhou.

Uma outra moradora da Serra, também técnica de enfermagem, questiona a lisura das contratações. “Perdi meu tempo ao ir até a Pró Matre hoje cedo. Chamaram todos num auditório e afirmaram que a divulgação dessas vagas era proibida e não foi autorizada pela Santa Casa. Disseram ainda que somente quem recebeu convite no WhatsApp poderia participar. Mas como eles podem enviar mensagens apenas para alguns?”, questionou.

Nas redes sociais, leitores do Tempo Novo também afirmaram que a Santa Casa estava atendendo somente pessoas convidadas.

Santa Casa x Materno Infantil

Hospital teria aberto processo seletivo, através da Santa Casa da Misericórdia. Foto: Edson Reis

Conforme informado anteriormente, a Santa Casa foi contratada pela Prefeitura da Serra para gerir o Hospital Materno Infantil. No entanto, o contrato funcionará da mesma forma que ocorre na Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Castelândia e Carapina. A empresa recebe repasse da administração municipal para gerenciamento do hospital e é responsável, inclusive, pela contratação e pagamento da remuneração dos funcionários.

Desde que a contratação foi divulgada pelo Município, o Tempo Novo tenta contato com a assessoria de imprensa da Santa Casa para obter informações sobre o processo seletivo; todas as demandas foram sumariamente ignoradas.

Inclusive, antes de divulgar sobre as contratações desta segunda, tentou novamente contato com a instituição, mas as perguntas não foram respondidas. Uma funcionária dos Recursos Humanos (RH) da empresa também foi questionada pelo WhatsApp, mas ignorou as mensagens.

Na manhã de hoje, após a repercussão negativa devido a suposta limitação de vagas, a assessoria da Organização Social enviou um e-mail ao Tempo Novo afirmando que não estaria recebendo currículos nesta segunda.

“A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Vitória é uma rede formada por várias unidades de negócio. Circularam, nos últimos dias, informações sobre um processo seletivo para vagas na cidade de Serra. Esclarecemos que o recrutamento em questão é apenas para cadastro de reserva da instituição, sem unidade definida para atuação. Não há processo seletivo aberto para vagas em hospitais no município da Serra”, diz o texto da nota.

A Santa Casa ainda informou “que todo e qualquer processo seletivo realizado pela Irmandade é realizado com o envio de currículos feito, exclusivamente, através do e-mail [email protected] .

Sendo assim, orientamos que os interessados em fazer parte dos quadros administrados pela Irmandade enviem seu currículo para o e-mail informado acima, mas que não compareçam para entrega presencial”.

Advogada afirma que contratações deste tipo são ilegais

Uma advogada ouvida pelo Tempo Novo, Erika  Santos, afirmou que caso o processo seletivo esteja sendo realizado desta forma, a Santa Casa está indo contra a lei.

“A princípio e com base no que você me informou, acredito que não podem limitar os candidatos. A Santa Casa é privada, mas o Materno é hospital público. Como ela está prestando um serviço público, deve seguir as regras do mesmo. Logo, o processo seletivo deve ser público, divulgado, seguindo os princípios da legalidade e impessoalidade”, destacou.

Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!