19 C
Serra
domingo, 31 de Maio de 2020

Domingo (25) tem Descida do Jucu com críticas a gestão da água no ES

Leia também

Servidores da Serra podem realizar perícia médica por meio da internet

Enquanto os serviços seguem limitados em função da pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura da Serra está permitindo que...

Mais de 60 vagas de emprego no Sine da Serra na segunda (1)

Se você está procurando emprego o  Sine da Serra não está realizando atendimento presencial ao público, mas continua captando...

Em entrevista, Audifax fala sobre medidas de combate ao coronavírus na Serra

A Serra tem tomado uma série de medidas em combate ao coronavírus (Covid-19), que vão desde a distribuição de...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Aumento da poluição e redução do volume de água no Jucu e outros rios que atendem a Grande Vitória preocupam. Foto: Divulgação

Bruno Lyra

É neste domingo (25) a 28ª Descida Ecológica do Rio Jucu, tradicional evento promovido por ativistas ambientais capixabas para cobrar a despoluição do manancial que abastece cerca de 1 milhão de pessoas na Grande Vitória.

De acordo com um dos organizadores, Thiago Emerick, a concentração será a partir das 7h na praça da Barra do Jucu em Vila Velha, balneário onde o rio chega ao mar. Quem quiser participar deve levar a própria embarcação, que pode ser barco de pequeno porte, caiaque ou até mesmo prancha de Stand Up Padle (SUP).

“A organização dará o transporte para embarcações e participantes até a antiga fábrica da Antártica em Viana, onde começa a descida. Serão percorridos cerca de 24km até a Barra do Jucu e a previsão é que os participantes percorram o trecho até o final da tarde”, explica.

Thiago orienta também quem for a usar roupas e chapéus, além de protetor solar. Colete salva vidas, água e alimentos leves como frutas e sanduíches também são imprescindíveis. É também tradição do evento as críticas a política de gestão ambiental e hídrica no Estado. E também à Cesan, por retirar água limpa do rio e até hoje não conseguir implantar um sistema de tratamento de esgoto em quantidade e qualidade que impeçam a degradação do Jucu nos 2,1 mil km2 da bacia.    

Este ano a Descida tem o tema “30 Anos de Omissão do Poder Público”, alusiva ao primeiro evento realizado em 1988 e a poluição crescente do rio que os organizadores e participantes puderam notar no período.

De lá para cá a descida só não aconteceu em dois anos. O último deles foi 2017, quando a superseca iniciada em 2014 baixou o nível do Jucu, dificultando a passagem de barcos e ameaçando a saúde de quem entrasse no manancial por conta do aumento da concentração de esgoto.  

A organização do evento é da Associação Barrense de Canoagem (ABC), entidade que idealizou a Descida e a coordena desde a 1ª edição. Mais informações nos telefones  99849-3894 (Eduardo) e 98829-2093 (Thiago).

Abastecimento, represa e segurança hídrica na Serra

Os cerca de 1 milhão de pessoas abastecidos pelo Jucu estão nas cidades de Vila Velha, Cariacica, Viana e Vitória (a parte da ilha). E para evitar o risco de desabastecimento o governo planeja construir uma represa de 23 bilhões de litros na serra da Vista Linda, em Domingos Martins, às margens da BR 262, logo acima da ponte da Macumba.

Segundo a assessoria de imprensa da Cesan, a barragem terá 50 metros de altura, área de 14 hectares e a água armazenada seria suficiente para abastecer todas as cidades atendidas pelo Jucu por três meses. A empresa estadual projeta iniciar a licitação ainda no primeiro semestre deste ano.  O custo estimado é de R$ 108 milhões e a obra deve durar entre dois e três anos.

Mesmo não atendendo a Serra, a represa no Jucu deve ser benéfica para o município, que é abastecido pelos rios Santa Maria e Reis Magos. Isto porque hoje a Serra tem que dividir as águas do Santa Maria com a parte continental de Vitória, que também é interligada ao sistema Jucu.

Uma vez que a represa cumprir o objetivo de deixar a produção de água mais segura e regular no Jucu, isso pode reduzir a pressão sobre o Santa Maria.  “O projeto do Jucu traz mais oferta de água à Grande Vitória. E isso é bom para a Serra, pois o investidor ficará mais seguro para colocar seus recursos aqui tendo garantia de que haverá água”, resume o presidente da Associação dos Empresários da Serra, Djalma Neto.

Comentários

Mais notícias

Mais de 60 vagas de emprego no Sine da Serra na segunda (1)

Se você está procurando emprego o  Sine da Serra não está realizando atendimento presencial ao público, mas continua captando e oferecendo as vagas de...

Em entrevista, Audifax fala sobre medidas de combate ao coronavírus na Serra

A Serra tem tomado uma série de medidas em combate ao coronavírus (Covid-19), que vão desde a distribuição de máscaras e kits de limpeza...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!