28.4 C
Serra
quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Crise vai provocar demissões na ArcelorMittal Tubarão, diz empresa

Leia também

Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo é prorrogada até final de novembro

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, para crianças de um ano a menor de cinco anos de...

De Dudu Piu Piu a Voz de Trovão: confira os nomes engraçados dos candidatos a vereador da Serra

A Serra tem 748 candidatos ao cargo de vereador e não foram poucos os que apostaram em nomes engraçados...

Atletas da Serra se divertem e alegram fãs na onda do TikTok

O TikTok – aplicativo de rede social que virou febre entre milhões de pessoas do mundo – também está...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal.

Maior indústria instalada na Serra, a ArcelorMittal Tubarão tem mais de 5 mil funcionários próprios e é responsável por cerca de 12% do PIB capixaba. Foto: Divulgação/ArcelorMittal

A crise no mercado internacional do aço agravada pela pandemia do novo coronavírus vai gerar demissões na maior indústria instalada na Serra, a ArcelorMittal Tubarão. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (24) pela própria empresa, através de um comunicado.

No comunicado, a siderúrgica informa que criou Programa de Demissão Voluntária (PDV) e um Programa de Demissão Involuntária (PDI) para os seus empregados, a fim de atenuar os impactos do desligamento em cada profissional atingido. A empresa ressalta que os programas foram acordados junto ao Sindicato dos Metalúrgicos do Espírito Santo.

A ArcelorMittal Tubarão não informa quantas demissões devem acontecer entre os seus mais de 5 mil funcionários diretos.  Mas diz que os interessados em se candidatar ao PDV – que oferece algumas vantagens financeiras (veja ao final da matéria) a mais em relação a demissão involuntária –  devem solicitar o ingresso a partir deste sábado (26) até o dia 20 de outubro. No entanto a empresa lembra que dispõe de limite orçamentário para este programa. Por isso diz que vai esperar o número final de adesões “para definir eventuais novas ações”.

A empresa destaca também que após o término do período de adesão ao PDV, os que forem demitidos até 31 de dezembro receberão apenas metade das indenizações especiais e benefícios temporários previstas no Programa.

Sequência de eventos afeta produção

Nos últimos dois anos a siderurgia em Tubarão vem enfrentando dificuldades. Uma delas foi a redução da oferta do minério de ferro da Vale, após a paralisação de diversos pontos de extração por conta da revisão dos protocolos de segurança das barragens de rejeitos. Isso por conta do rompimento das barragens da minerados em Brumadinho, em janeiro de 2019, e de Mariana em novembro de 2015.

Para agravar, em dezembro de 2019, o presidente norte americano Donald Trump estabeleceu medidas para restringir a importação do aço brasileiro. Parte expressiva da produção de aço semiacabado produzido pela ArcelorMittal Tubarão vai para o mercado estadunidense.  E, em agosto último, Trump endureceu ainda mais essas restrições.

Diante de um cenário já negativo, veio a crise econômica gerada pela pandemia da covid-19, que fez despencar a demanda mundial por aço.

Com três alto-fornos e capacidade nominal de produzir 7,5 milhões de toneladas/ano, a ArcelorMittal Tubarão chegou a desligar dois deles. Mas, recentemente, o alto-forno 2 foi religado e o 3 deve voltar a operar até outubro. No entanto, como já informou anteriormente a siderúrgica, a produção segue reduzida. Mas a empresa não revela quanto está fabricando de aço no momento.

A ArcelorMittal Tubarão é um dos pilares da economia da Serra e ES. Além de empregar cerca de 10 mil pessoas diretamente entre funcionários próprios e terceirizados, também ativa rede de fornecedores e prestadores de serviços locais. Um estudo divulgado pela Ufes em 2017, aponta que a empresa sozinha era responsável por movimentar o equivalente a 12% do PIB do ES em 2016.

Vantagens oferecidas no Plano

de Demissão Voluntária da empresa

Para os funcionários da siderúrgica que forem aderir ao Plano de Demissão Voluntária (PDV) – cuja candidatura deve ser informada entre 26 de setembro e  20 e outubro – as vantagens são:

Verba indenizatória atrelada ao tempo de casa podendo atingir até 8 (oito) salários base para os aposentáveis e até 7 (sete) para os demais empregados; Pagamento das mensalidades do Plano de Saúde e Odontológico para o empregado e 1 (um) dependente, por 12 (doze) meses; Manutenção do Seguro de Vida em grupo por 12 (doze) meses;  Pagamento das contribuições previdenciárias privadas por um período de 12 (doze) meses.

As informações sobre as vantagens do PDV foram divulgadas no comunicado publicado neste quinta-feira (24) pela ArcelorMittal Tubarão.

Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

De Dudu Piu Piu a Voz de Trovão: confira os nomes engraçados dos candidatos a vereador da Serra

A Serra tem 748 candidatos ao cargo de vereador e não foram poucos os que apostaram em nomes engraçados para chamar a atenção do...

Atletas da Serra se divertem e alegram fãs na onda do TikTok

O TikTok – aplicativo de rede social que virou febre entre milhões de pessoas do mundo – também está fazendo a cabeça de atletas...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!