23.4 C
Serra
quinta-feira, 06 de agosto de 2020

Com parafusos no joelho, serrana de 61 anos encara São Silvestre

Leia também

Extrabom promove campanha de conscientização em suas lojas sobre os 14 anos da Lei Maria da Penha

Nesta sexta-feira (7) a Lei Maria da Penha completa 14 anos de existência. Ainda assim, segundo dados da Polícia...

Índice de isolamento na Serra está abaixo dos 45% por dia em agosto

Desde o início da pandemia do novo coronavírus a Serra nunca atingiu mais de 55% no índice de isolamento...

Nuvem com aparência de tornado chama atenção entre Vitória e Serra

Uma nuvem com um formato diferente sobre o mar na Ponta de Tubarão, perto da divisa entre Vitória e...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Neide Gujansque Tosta é moradora de Serra Dourada. Foto: Divulgação

A mais tradicional corrida de rua do Brasil acontece nesta virada de ano. Trata-se da São Silvestre, em São Paulo, que será realizada na terça-feira (31), e a Serra vai marcar presença na competição com uma atleta com história de superação.

A moradora de Serra Dourada, Neide Gujansque Tosta, de 61 anos, irá retornar à São Silvestre, depois de ter corrido no torneio em 1986. “Corri pela última vez em 86; porém, como escolhi ser árbitra de futebol, não pude seguir a carreira de corredora. Encerrei a arbitragem em 2005, quando fiz 45 anos, idade máxima permitida pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Logo depois, sofri um acidente e fiquei 15 anos sem fazer atividade física. Voltei a praticar esporte neste ano”, conta.

Em 2019, Neide voltou a jogar vôlei adaptado e está treinando pesado para a São Silvestre. Nesse meio tempo, ela já correu a Hangar, Corrida Noturna, OAB, Santa Lúcia, Dez Milhas Garoto, Tribuna e Faesa.

Para terminar o ano, ela irá disputar a São Silvestre e começará 2020, correndo na Corrida de rua Reis Magos, em Nova Almeida, em janeiro. “Sempre estou me movimentando. Mesmo tendo lesão forte nos joelhos com parafusos, estou firme e forte. Estou emocionada após tanto tempo parada poder correr a São Silvestre. São 35 mil corredores, imagino que estarei no meio dessa multidão. Será sensacional”, frisa.

Neide viaja para São Paulo neste sábado (28) e retorna no dia 2 de janeiro para o Espírito Santo. A corredora tem como treinador Cláudio Gujansque e como auxiliar, Rosângela. A corrida São Silvestre, atualmente, tem uma extensão de 15 km e acontece nas ruas da cidade de São Paulo.

Comentários

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

Índice de isolamento na Serra está abaixo dos 45% por dia em agosto

Desde o início da pandemia do novo coronavírus a Serra nunca atingiu mais de 55% no índice de isolamento social. Segundo dados do Painel Covid-19...

Nuvem com aparência de tornado chama atenção entre Vitória e Serra

Uma nuvem com um formato diferente sobre o mar na Ponta de Tubarão, perto da divisa entre Vitória e Serra, chamou a atenção no...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!