Ambiental Serra/Cesan lança esgoto aos pés do Mestre Álvaro, denuncia ativista

0

 

Ambiental Serra/Cesan lança esgoto aos pés do Mestre Álvaro, denuncia ativista
Flagrante feito na última sexta (7): situação é recorrente, segundo ambientalista. Foto: Rafael Apelfeler

Um ativista ambiental da Serra denuncia que esgoto sem tratamento está sendo lançado nos Alagados do Mestre Álvaro, na região de Jardim Tropical e que abriga diversas espécies de fauna e flora no  município.

O flagrante foi feito pelo ativista Rafael Apelfeler na última sexta-feira (7) e segundo ele a situação é recorrente. “O problema acontece  próxima torre de Furnas e todo o esgoto vem do Estação de Tratamento da Cesan/Ambiental Serra e fede muito e tem coloração estranha. Parece que  não é tratado”, denuncia.

A reportagem questionou a Ambiental Serra/Cesan sobre o problema que disse que a Estação de Tratamento de Esgoto de Furnas lança o efluente tratado da Estação no Canal dos Escravos. Quanto ao lançamento de esgoto bruto na região, a Cesan informa que os moradores que possuem rede coletora devem interligar seus imóveis à rede de esgotamento sanitário.

A reportagem procurou a Prefeitura da Serra que disse que a Secretaria de Meio Ambiente informou que a Ambiental Serra e a Cesan já foram notificadas.

Confira o vídeo do ambientalista Rafael Apelfeler do lançamento da Estação de Tratamento de Furnas:

Esta não é a primeira vez que ativistas denunciam lançamento de esgoto nos Alagados do Mestre. Este ano, em setembro, o ambientalista Edson Reis, flagrou esgoto sendo lançado no local pelo Centro de Detenção Provisória do Queimado.

Na ocasião, Secretaria de Estado de Segurança Pública negou que o esgoto seria do presídio.  Já a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Meio Ambiente da Serra confirmou que o esgoto é do CDP e disse  também que órgão já esteve no local vistoriando a área, porém identificou juntamente com a Sejus que o complexo penitenciário tem sistema de tratamento de efluente próprio. Mas que diante da denúncia dos ativistas faria nova vistoria no local, acompanhada por técnicos da Sejus, a fim de verificar se está acontecendo o adequado tratamento do efluente.

 

Comentários