21.3 C
Serra
quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Câmara aprova lei que proíbe plantio de eucalipto na Serra

Leia também

Defesa Civil emite alerta de alagamentos para a Serra

A Defesa Civil Estadual emitiu um alerta de alagamentos para a Serra. Segundo previsão do Instituto Nacional de Pesquisas...

Chuva forte deixa casas interditadas e 7 desalojados na Serra em 24h

Por conta das fortes chuvas registradas nas últimas 24 horas, a Serra já possui duas casas interditadas e sete...

Vidigal negocia com PT e PSL no mesmo palanque para tentar ser prefeito pela 4º vez

Pré-candidato a prefeito da Serra pela 7º vez em 28 anos, Sérgio Vidigal (PDT) trabalha um arco de aliança...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Cultivo de eucalipto da Fibria às margens do inacabado Contorno de Jacaraípe: empresa tem cerca de 2,5 mil hectares. Foto: Arquivo TN /Fabrício Ribeiro
Cultivo de eucalipto da Fibria às margens do inacabado Contorno de Jacaraípe: empresa tem cerca de 2,5 mil hectares. Foto: Arquivo TN /Fabrício Ribeiro

A Câmara da Serra aprovou na noite da última quarta (09) o Projeto de Lei (PL), no mínimo polêmico, que proíbe plantações de eucalipto no território do município. O autor é o vereador Aldair Xavier (PTB), vice- presidente da comissão de Meio Ambiente da Casa. Para entrar em vigor, a lei ainda precisa da sanção do prefeito Audifax Barcelos (Rede).

O argumento do vereador Aldair é de que as plantações consomem muita água do solo e neste cenário de seca prolongado estaria mais prejudicando do que beneficiando a cidade, com impacto direto sobre as lagoas, córregos e rios.

Se aprovada, todas as plantações de eucalipto na Serra terão que ser erradicadas em até cinco anos. Caso isto aconteça, a maior prejudicada é a Fíbria (antiga Aracruz Celulose), que possui cerca de 2,5 mil hectares de plantios entre Jacaraípe e Nova Almeida, assim como mantém também outros 2,5 mil hectares de matas nativas na região.

Questionado sobre o impacto econômico da medida, Aldair diz que os prejuízos gerados pelo plantio são maiores do que os benefícios. Subscrevem o projeto os também vereadores Boy do INSS (PMDB), Nacib Haddad (PDT) e Basílio da Saúde (Pros).

O prefeito Audifax Barcelos, disse, através da assessoria de imprensa, que não irá se manifestar sobre o projeto de lei antes que ele seja analisado pela Procuradoria e pela área técnica da administração municipal.

Já a Fíbria, também através de sua assessoria, disse que ainda não tinha tido acesso ao teor do projeto e por isto não iria se manifestar sobre o mesmo. Mas afirmou que as atividades das empresas são feitas dentro dos princípios de reponsabilidade social e ambiental.

Comentários

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

Chuva forte deixa casas interditadas e 7 desalojados na Serra em 24h

Por conta das fortes chuvas registradas nas últimas 24 horas, a Serra já possui duas casas interditadas e sete moradores desalojados. As informações foram...

Vidigal negocia com PT e PSL no mesmo palanque para tentar ser prefeito pela 4º vez

Pré-candidato a prefeito da Serra pela 7º vez em 28 anos, Sérgio Vidigal (PDT) trabalha um arco de aliança amplo. Confirmados no palanque estão:...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!