• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 35.992 casos
  • 711 mortes
  • 34.605 curados
30 C
Serra
quarta-feira, 27 janeiro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 35.992 casos
  • 711 mortes
  • 34.605 curados

Ativistas se mobilizam para limpar pichações em pedras do Mestre Álvaro

Leia também

Reunião entre Vandinho e Coronel Ramalho confirma reforma de delegacia em Jacaraípe  

O problema na segurança é uma das principais queixas dos moradores da Grande Jacaraípe, na Serra. Embora seja um...

Empresa vence ‘queda de braço’ na Justiça e serranos poderão beber água infectada com lixo

A qualidade da água na região de Serra Sede já deixa a desejar e a situação poderá ficar ainda...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Pichações feitas em pedra no topo do Mestre Álvaro. Foto: Guardiões do Mestre

Ativistas da Serra estão se mobilizando para limpar as pichações deixadas por visitantes nas pedras do Mestre Álvaro. Quem tem o costume de subir o monte que possui 833 metros de altitude certamente já viu as várias inscrições tantos de nomes como de frases de efeitos.

À frente da iniciativa estão os ambientalistas dos Guardiões do Mestre e quem conta a intenção de limpar as pedras é Ricardo Monteiro. “Estamos procurando meios para usar um material orgânico, que não agrida o meio ambiente. Já chegamos a um que não é totalmente orgânico, mas dispensa o uso de água. Você bate o produto na pedra, esfrega o pincel em cima da pichação que ela sai, porém não fica 100% limpo. Estamos procurando um removedor orgânico, mas se não achar, vamos pelos meios tradicionais mesmo. O que não queremos é agredir o meio ambiente na hora de limpar”, conta Ricardo.

Os Guardiões também fazem limpezas diárias pelas trilhas do Mestre. “São encontrados desde barracas, lona, tênis, garrafas pet, garrafas de café, pilha, lata de cerveja, garrafas de vidro, tudo que se possa imaginar a gente encontra lá, até pneus já  retiramos da área”, conta Junior Nass, que também pertence aos Guardiões. Ele adianta que a limpeza das pedras deve começar em outubro.

Nass também faz um apelo aos visitantes que frequentam o Mestre Álvaro. “As pessoas precisam entender que esse tipo de prática é crime. Estão pichando uma Área de Proteção Ambiental. Não é legal e polui visualmente uma paisagem que é perfeita. Pedimos, por favor, que tenham consciência de não deixar o ambiente sujo, levem sacola e retornem com seu lixo. Precisamos preservar o que é nosso. A natureza é nossa e precisamos preservar ela, tanto visualmente, quando fisicamente”.

 

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!