20.3 C
Serra
sábado, 06 de junho de 2020

Ambientalistas pedem a Prefeitura que não faça ‘engorda de areia’ nas praias da Serra

Leia também

Mudanças no primeiro escalão da Prefeitura da Serra

Dois secretários municipais, Luciana Malini e Jolhiomar Massariol, foram remanejados entre secretarias da Mulher e da Coordenadoria de Governo...

Serra liberada para investir dinheiro da taxa de luz no combate à covid-19

O município também irá investir em obras e pagamento de precatórios. Valor é referente a 30% da Cosip

Está na Câmara projeto que cria auxílio emergencial de R$ 400 para moradores da Serra

O município da Serra poderá ter seu próprio auxílio emergencial destinado aos moradores financeiramente mais afetados pela crise decorrente...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Grupo protestou no último domingo na praia do Solemar, Jacaraípe, contra o projeto da Prefeitura. Foto: Divulgação/Antônio Carlos ‘C&A’ Aprijo

Na última terça-feira (29), surfistas e ativistas ambientais de Jacaraípe e de outros balneários da Serra pediram a secretária de Meio Ambiente, Áurea Galvão, que o município reconsidere o projeto de ampliar a faixa de areia em Jacaraípe, Nova Almeida, Manguinhos e Capuba, a chamada ‘engorda’ de praia. No início de outubro, a Prefeitura anunciou que fará a transferência de areia da praia para lugares onde a faixa de areia está estreita. O objetivo é conter o avanço do mar, estando as intervenções previstas para começarem em janeiro ao custo de R$ 1,5 milhão.

Membro da Associação de Surf do Estado do Espírito Santo (Asees), Pablo Torres, disse que o pedido aconteceu durante reunião com Áurea. “Entregamos uma lista de reivindicações, entre elas fazer a recuperação das áreas degradadas com restinga e avaliar o avanço ou recuo do mar após essa ação. E, enquanto isso, suspender a ação de engorda”, explica.

Segundo Pablo, o temor é de que a engorda afete as ondas e prejudique o surf no litoral da cidade, impactando a rede de pousadas, lanchonetes e outros prestadores de serviço aos surfistas. Outra questão levantada pelo ativista é o soterramento de bancadas de corais que ficam junto à praia, uma característica do litoral serrano. “Se aterrarem, vai reduzir a vida marinha nas praias da Serra e prejudicar a pesca”, frisa.

Pablo disse que na reunião foram apresentados quais pontos a prefeitura pretende colocar areia e de onde vai retirar. “Ficamos surpresos ao ver que uma das jazidas é junto à foz do rio Jacaraípe. O rio está contaminado, essa areia não é adequada para ser levada a pontos mais limpos da orla, é um risco à saúde de quem for a praia que receber o material”, pontua.

Ele diz ainda que foi pedido à secretária que o município considere estude outras possibilidades de intervenções para conter a erosão gerada pelo avanço do mar, como colocação de pedras, construção de muro de concreto ou recuperação de restinga, como já citado.

“Nessa reuião foram representantes de várias entidades: da Associação de Moradores de Parque Jacaraípe, da Ases, da Associação de Surf de Praia Mole, da Associação de Surf Feminino do Estado do Espírito Santo, do Instituto Brasileiro de Fauna e Flora (Ibraff), do Instituto Mayla Venturini, da Moulin Surf School e de empresários da área do surf”, enumera Pablo.

No último domingo (27), houve um protesto contra a engorda da praia na orla de Jacaraípe.

Na semana passada, a Prefeitura da Serra defendeu que o acréscimo de areia nos pontos onde a praia está mais estreita é a medida mais eficaz para conter a erosão marinha.

Em nota enviada pela assessoria de imprensa, a Secretaria de Meio Ambiente disse que está avaliando as solicitações dos surfistas e ativistas. Afirmou também que as questões de contaminação de areia e recuperação da restinga já foram esclarecidas com os surfistas duranta e reunião da última terça-feira (29).

Comentários

Mais notícias

Serra liberada para investir dinheiro da taxa de luz no combate à covid-19

O município também irá investir em obras e pagamento de precatórios. Valor é referente a 30% da Cosip

Está na Câmara projeto que cria auxílio emergencial de R$ 400 para moradores da Serra

O município da Serra poderá ter seu próprio auxílio emergencial destinado aos moradores financeiramente mais afetados pela crise decorrente do coronavírus. Isso porque já...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!