24.5 C
Serra
sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Acordo do governo com Vale e Arcelor será investigado em CPI

Leia também

Atenção | Acidentes travam trânsito na Serra e congestionamento é gigantesco na BR-101

A volta para casa de motoristas que precisam passar pela BR-101, Norte Sul e outras vias da Serra está...

PIB capixaba cai 12,2% no segundo trimestre, aponta Federação

A economia capixaba teve um recuo de 12,2% no segundo trimestre. O número da estimativa divulgada na última terça-feira...

Com isolamento social despencando, Serra registra três novas mortes e 112 casos de coronavírus em 24h

Sendo a segunda cidade do Espírito Santo com o maior número de casos confirmados e mortes por coronavírus, a...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

A proposta é do deputado Sérgio Magesky. Foto: Agência Vale

Os Termos de Compromisso Ambiental (TCAs) firmados no ano passado entre as principais responsáveis pelo pó preto na Grande Vitória, Vale e ArcelorMittal Tubarão, junto com Governo do Estado e Ministério Público vão ser investigados na Assembleia Legislativa.

É que na última segunda-feira (01) foi instalada uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que irá apurar a legalidade do TCA, que, na prática, suspende ações judiciais contra as siderúrgicas em troca da promessa de as empresas reduzirem a poluição que geram.   

Proposta pelo deputado Sérgio Magesky (PSB), a CPI acabou presidida por Marcelo Santos (PDT). E já para a próxima terça-feira (9), convidou representantes de cinco instituições envolvidas no acordo.

São eles o promotor do Ministério Público do Estado, Marcelo Lemos, e o procurador da República, André Pimentel Filho, responsáveis pela elaboração dos TCAs; Romildo Fracalossi, Relações Institucionais de Meio Ambiente da Vale; João Bosco Reis da Silva, gerente-geral de Sustentabilidade e Relações Institucionais da Arcelor Mittal Tubarão; e um representante da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETSB), responsável pela elaboração do relatório que embasou o TCA.

De acordo com a assessoria de imprensa da Assembleia, caso os convidados não compareçam, a Comissão irá convocá-los.

Após o TCA, Vale e Arcelor detalharam metas e ações para reduzirem a poluição até 2023. A promessa da Vale é reduzir em 93% a emissão de pó preto, caindo de 2.730 toneladas/ano para 195 ton/ano. Já a Arcelor diz que irá diminuir em 16% a quantidade do poluente, caindo de 1.788 toneladas/ano para 1.642 ton/ano.      

Comentários

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

PIB capixaba cai 12,2% no segundo trimestre, aponta Federação

A economia capixaba teve um recuo de 12,2% no segundo trimestre. O número da estimativa divulgada na última terça-feira (15) pela Federação das Indústrias...

Com isolamento social despencando, Serra registra três novas mortes e 112 casos de coronavírus em 24h

Sendo a segunda cidade do Espírito Santo com o maior número de casos confirmados e mortes por coronavírus, a Serra registrou, em apenas 24...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!