27.9 C
Serra
quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Acordo do governo com Vale e Arcelor será investigado em CPI

Leia também

Serranos mandam ver em versão da canção ‘Telegrama’ de Zeca Baleiro

Ícone da geração dos anos 1990 da MPB, o maranhense Zeca Baleiro teve versão de uma de suas músicas...

Atraso de entrega de imóvel gera direito a indenização

O ano 2018 marcou o fim de um ciclo de 5 anos de retração econômica, de acordo com a ...

Desastre ambiental iminente no Atlântico envolve de novo a Vale

Co-responsável pelo derramamento de rejeitos no rio Doce e no mar com o rompimento da barragem da Samarco (Vale...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

A proposta é do deputado Sérgio Magesky. Foto: Agência Vale

Os Termos de Compromisso Ambiental (TCAs) firmados no ano passado entre as principais responsáveis pelo pó preto na Grande Vitória, Vale e ArcelorMittal Tubarão, junto com Governo do Estado e Ministério Público vão ser investigados na Assembleia Legislativa.

É que na última segunda-feira (01) foi instalada uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que irá apurar a legalidade do TCA, que, na prática, suspende ações judiciais contra as siderúrgicas em troca da promessa de as empresas reduzirem a poluição que geram.   

Proposta pelo deputado Sérgio Magesky (PSB), a CPI acabou presidida por Marcelo Santos (PDT). E já para a próxima terça-feira (9), convidou representantes de cinco instituições envolvidas no acordo.

São eles o promotor do Ministério Público do Estado, Marcelo Lemos, e o procurador da República, André Pimentel Filho, responsáveis pela elaboração dos TCAs; Romildo Fracalossi, Relações Institucionais de Meio Ambiente da Vale; João Bosco Reis da Silva, gerente-geral de Sustentabilidade e Relações Institucionais da Arcelor Mittal Tubarão; e um representante da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETSB), responsável pela elaboração do relatório que embasou o TCA.

De acordo com a assessoria de imprensa da Assembleia, caso os convidados não compareçam, a Comissão irá convocá-los.

Após o TCA, Vale e Arcelor detalharam metas e ações para reduzirem a poluição até 2023. A promessa da Vale é reduzir em 93% a emissão de pó preto, caindo de 2.730 toneladas/ano para 195 ton/ano. Já a Arcelor diz que irá diminuir em 16% a quantidade do poluente, caindo de 1.788 toneladas/ano para 1.642 ton/ano.      

Comentários

Mais notícias

Atraso de entrega de imóvel gera direito a indenização

O ano 2018 marcou o fim de um ciclo de 5 anos de retração econômica, de acordo com a  Coordenadoria de Projetos Imobiliários da...

Desastre ambiental iminente no Atlântico envolve de novo a Vale

Co-responsável pelo derramamento de rejeitos no rio Doce e no mar com o rompimento da barragem da Samarco (Vale + BHP Billiton) em 2015...

O suplente Fábio Latino assumirá em definitivo a vaga de Cabo Porto na Câmara

Com a morte do vereador Cabo Porto, o suplente, Fábio Latino (PSB), deverá assumir a vaga. Latino conversou com a reportagem nesta quarta-feira (26)....

Nome do vereador Cabo Porto deverá ser eternizado na Arena Riviera em Jacaraípe

Jucélio Nascimento Porto, popularmente conhecido como Cabo Porto (PSB), que morreu no último sábado (22) em decorrência de um acidente de trânsito, poderá ter...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem