Vereador da Serra vai a Brasília em busca de recursos para castra-móvel

0
Vereador da Serra vai a Brasília em busca de recursos para castra-móvel
O objetivo é trazer para a cidade três veículos por meio de emenda parlamentar. Foto: Divulgação

A causa animal ganhou um aliado na luta pelos direitos dos bichos domésticos na Serra. O vereador Pastor Ailton (PSC) viajou para Brasília em busca de verba para trazer ao município três castra-móveis para realização de castração em massa.

Segundo Ailton, existe a preocupação com o crescimento da população animal e o Município diz que não tem verba. “Estamos buscando emenda parlamentar para levar no mínimo três castra móveis para a cidade. É um projeto que já existe no Ministério da Saúde; porém, como não entrou no orçamento, não temos daí a necessidade de conseguir emenda parlamentar”, destaca.

A Serra possui cerca de 75 mil animais. Destes, aproximadamente 15 mil cães estão abandonados nas ruas. Os gatos são em torno de 11 mil, sendo 10% na rua.

Ailton conta que o objetivo é trazer R$ 130 mil de emenda parlamentar junto à bancada federal do Espírito Santo para a implantação do sistema.

O vereador também conversou com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e saiu animado da capital do Brasil.

Audiência pública

Dia 19 de setembro, próxima quinta-feira, haverá uma audiência pública na Câmara da Serra, às 17h, para discutir sobre a situação dos animais na cidade. A pauta será castração de cães e gatos, baseada na lei municipal nº 4583, que existe desde de 20 de setembro de 2016 e nunca foi colocada em prática.

A lei fala da criação do Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (CMPDA), o qual não saiu do papel e está travado desde que a lei foi publicada. Além disso, a norma fala do Programa Permanente de Proteção e Defesa dos Animais no Município da Serra, que em um de seus parágrafos pontua “estabelecer parcerias e ações que visem facilitar o acesso da população com baixa renda, grupos de proteção e protetores independentes que atuam no Município, a cirurgias de castração de animais e demais procedimentos que busquem a proteção e o bem-estar animal”.

“Nós queremos entender se a lei existe, porque ainda não foi colocada em prática”, destaca o vereador.

Veja também:

Mais de 2,2 mil animais vivem em abrigos da Serra

Comentários