26.6 C
Serra
domingo, 29 de novembro de 2020

Serra ganha mais de 800 novas empresas durante o período da pandemia

Leia também

Serra registra manhã tranquila de votação e sem aglomerações neste segundo turno. Veja fotos!

Por conta da pandemia causada pelo coronavírus, muitos eleitores ficam receosos em ir ao seu local de votação para...

Quem não votou no primeiro turno das eleições pode votar no segundo turno

Os eleitores que não foram às urnas no primeiro turno das eleições municipais deste ano podem votar no segundo...

Veja onde os candidatos a prefeito da Serra irão votar neste domingo

Neste domingo (29), eleitores da Serra estão voltando às urnas para escolher os próximo prefeito e vice-prefeito. E junto...
Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

A Avenida Central de Laranjeiras é um dos polos comerciais mais movimentados da Serra. Foto: Gabriel Almeida

O número de novas empresas abertas no Espírito Santo tem crescido desde julho, mesmo durante pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). E a Serra aparece como a terceira cidade onde os empreendedores decidiram investir em negócios.

De julho a outubro foram registradas 5.810 novas constituições de empresas, segundo dados da Junta Comercial do Estado do Espírito Santo (Jucees), e dez municípios correspondem a mais de 75% desse total.

No período analisado, a cidade que mais abriu empresas foi Vitória (1.100), seguida por Vila Velha (934), Serra (809) e Cariacica (392). Logo depois aparecem Cachoeiro de Itapemirim (317), Linhares (289) e Guarapari (180). Fecham a lista dos dez municípios que mais abriram empresas as cidades de Colatina (177), São Mateus (126) e Viana (95).

O presidente da Junta Comercial, Carlos Roberto Rafael, destaca ainda que em todos esses municípios o número de novas empresas abertas foi maior do que o de baixas. “Isso é um bom indicador para o Espírito Santo. Sabemos que o momento ainda é de grande incerteza, mas o Estado está organizado para se recuperar da crise provocada pelo novo Coronavírus”, comenta Rafael.

Entre os motivos que o presidente da Junta Comercial aponta como importantes para esta recuperação estão a gestão da saúde por parte do Governo do Estado, que permitiu a reabertura das atividades comerciais no momento adequado; a segurança jurídica para a abertura de novos negócios; e a eficiência da Junta Comercial na liberação de novas empresas. De acordo com os dados da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (RedeSim), o Espírito Santo é o Estado com menor tempo de espera para abertura de novas empresas do Sudeste.

“A Junta Comercial do Espírito Santo é pioneira na questão da tecnologia e vem avançando plenamente no trabalho com inteligência artificial. Isso tem nos trazido bons resultados no comparativo com as demais Juntas do Brasil. Certamente, isso é motivo de comemoração e também um grande incentivo para melhorarmos ainda mais”, destaca Carlos Roberto Rafael.

Segundo a RedeSim, o tempo médio para a abertura de empresas no Espírito Santo, em outubro, foi de 1 dia e 7 horas, o que coloca o Estado na 4ª posição no ranking nacional.

Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!