Saldo de R$ 1,8 bilhão no comércio exterior da cidade

0
Saldo de R$ 1,8 bilhão no  comércio exterior da cidade
Nas importações, o carvão mineral, apesar de ter caído 17%, se manteve como o principal produto, com um montante de US$ 1 bi. Foto: Agência Brasil

A Serra foi o 2º município que mais exportou e importou produtos no Estado em 2018 e ainda fechou o ano com superávit de US$492,79 milhões (cerca de R$ 1,8 bilhão) na balança comercial. O município exportou US$2,314 bilhões e importou US$1,821 no ano passado. O primeiro lugar ficou com a capital Vitória.

O ano de 2018 foi positivo para o comércio exterior capixaba, apontando crescimento de 9% nas exportações e importações, segundo o Sindicato do Comércio de Exportação e Importação do Estado (Sindiex).

Nas exportações a Serra deteve 24,9% do total do estado (US$ 8,8 bi) e ficou em 18° no ranking de exportações brasileiras. Já nas importações, a cidade teve 36,2% do total capixaba (US$5,08), deixando-a em 21º no ranking do Brasil.

Em 2018 a Serra tinha 110 empresas exportadoras e 171 importadoras.

Para o presidente do Sindiex, Marcilio Machado, a Serra tem participação de destaque no comércio exterior capixaba e a expectativa é de que 2019 seja um ano ainda melhor para as transações.

“A precária infraestrutura portuária do Espírito Santo continua sendo entrave para o desenvolvimento do comércio exterior capixaba, fator que também acaba afetando o município da Serra. Ainda assim, a cidade tem participação considerável nas operações de importação e exportação do Estado e, passado esse turbilhão de dúvidas quanto ao futuro do Brasil, estou otimista que teremos um 2019 melhor para o comércio exterior capixaba”, aposta Marcílio.

Nas exportações capixabas, o minério de ferro foi principal produto com US$ 2,91 bilhões. Um destaque nas exportações veio com a venda de café, que cresceu 89% em relação a 2017, totalizando US$ 444 mi.

Já nas importações, o carvão mineral, apesar de ter caído 17%, se manteve como o principal produto, com um montante de US$ 1 bi. Os produtos com maior crescimento foram os automóveis, com 65% de alta, totalizando US$ 540 milhões.

 

Comentários