22.6 C
Serra
segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Saída do Fórum

Leia também

Serra está há dois dias sem registrar mortes causadas pelo coronavírus, diz Estado

Mesmo seguindo na liderança do número de mortes causadas pela Covid-19 no Espírito Santo, a Serra não registra moradores...

Candidatura de Bruno Lamas é teste de popularidade do Governo nas eleições 2020

Os resultados das eleições de novembro, na Serra, podem ser a resposta do povo às ações do Governo do...

Políticos capixabas lamentam marca dos 100 mil mortos por coronavírus no Brasil

Políticos de todo o país manifestaram preocupação com o avanço do número de mortos em decorrência da Covid-19. O...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

 

Estava marcada para esta quinta-feira (8), após o fechamento desta coluna, a escolha dos membros da nova Mesa Diretora do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES). A movimentação está sendo acompanhada com atenção por quem defende a permanência no Fórum da Serra na sede do município. Isso porque o atual presidente do TJ, desembargador Sérgio Bizzotto, garantiu que, enquanto estivesse no cargo, o Fórum não seria transferido para Jardim Limoeiro, mas a declaração foi feita em 22 de setembro, menos de três meses da despedida de Bizzotto da Presidência.

Dilma na frigideira

Por unanimidade, o Tribunal de Contas da União (TCU) acatou o parecer do ministro Augusto Nardes, pela rejeição das contas da presidente da República, Dilma Rousseff (PT).  As irregularidades totalizam R$ 106 bilhões, sendo R$ 40 bilhões referentes às chamadas “pedaladas fiscais”. Nardes classificou o cenário de 2014 como “desgovernança fiscal”.

 Getúlio foi o último

As contas seguem para a análise da Câmara Federal, onde passam pela Comissão de Orçamento e, em seguida, seguem para o plenário. Segundo o deputado federal Paulo Foletto, a manobra do PT para desqualificar ao ministro relator e ao TCU “não foi inteligente. A instituição fez o seu papel, analisou, viu anormalidades e rejeitou. A recomendação que temos na bancada é para acompanhar o TCU. Vamos votar pela manutenção do parecer do TCU, afinal, só no governo de Getúlio Vargas aconteceu isso, em 1937”.

A lista de Gideão

Parecia cena de filme. Na sessão da última segunda-feira (5), o vereador Gideão Svensson (PR), usando a tribuna, ao se pronunciar sobre pedidos de informação feitos à Prefeitura da Serra abriu um rolo de papel e passou a manuseá-lo, a fim de apontar aos ouvintes o tamanho da lista solicitada, segundo ele, com pedidos de informação sem respostas desde janeiro.

Aqui não!

Já o vereador Aldair Xavier, no seu discurso, falou sobre insatisfações com o PTB, partido ao qual está filiado e disse que pretende sair da legenda. Com isso, os colegas passaram a oferecer abrigo em seus respectivos partidos. Entretanto Basílio (Pros) e José Raimundo (PSL) adiantaram que nas suas legendas “as portas estão fechadas”, já que não mais aceitam mandatários entre os pré-candidatos.

Jorjão de roupa nova

Tem chamado a atenção na Câmara da Serra o vereador Jorjão Silva, recém-filiado ao PMDB, se intitular líder daquele partido, que tem como decano o experiente Luiz Carlos Moreira. Este, por sua vez, parece divertir-se com as declarações do colega de plenário e, agora, de legenda.

Câmara conservadora

A Câmara de Vereadores aprovou na quarta-feira (07) o projeto de lei do Plano Municipal de Educação, com metas para os próximos dez anos. Mas diante de todo o conteúdo apreciado na Casa, os parlamentares se detiveram na expressão “diversidade”, que constava do texto e passaram a discutir sobre “os riscos que aquela palavra poderia gerar para as famílias serranas”, já que a escola teria a brecha para discutir diversidade de gênero. Parte da Câmara defendia a retirada da palavra, via emenda parlamentar, e apenas dois vereadores, Gilmar Carlos e Sebastião Sabino (PT), defendiam a sua permanência no texto. A palavra acabou retirada.

Comentários

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.
Artigo anteriorNecessidade de uma força jovem
Próximo artigoMestre Álvaro

Mais notícias

Candidatura de Bruno Lamas é teste de popularidade do Governo nas eleições 2020

Os resultados das eleições de novembro, na Serra, podem ser a resposta do povo às ações do Governo do Estado durante a pandemia do...

Políticos capixabas lamentam marca dos 100 mil mortos por coronavírus no Brasil

Políticos de todo o país manifestaram preocupação com o avanço do número de mortos em decorrência da Covid-19. O governador Renato Casagrande (PSB) usou...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!