Saída do Fórum

0

 

Estava marcada para esta quinta-feira (8), após o fechamento desta coluna, a escolha dos membros da nova Mesa Diretora do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES). A movimentação está sendo acompanhada com atenção por quem defende a permanência no Fórum da Serra na sede do município. Isso porque o atual presidente do TJ, desembargador Sérgio Bizzotto, garantiu que, enquanto estivesse no cargo, o Fórum não seria transferido para Jardim Limoeiro, mas a declaração foi feita em 22 de setembro, menos de três meses da despedida de Bizzotto da Presidência.

Dilma na frigideira

Por unanimidade, o Tribunal de Contas da União (TCU) acatou o parecer do ministro Augusto Nardes, pela rejeição das contas da presidente da República, Dilma Rousseff (PT).  As irregularidades totalizam R$ 106 bilhões, sendo R$ 40 bilhões referentes às chamadas “pedaladas fiscais”. Nardes classificou o cenário de 2014 como “desgovernança fiscal”.

 Getúlio foi o último

As contas seguem para a análise da Câmara Federal, onde passam pela Comissão de Orçamento e, em seguida, seguem para o plenário. Segundo o deputado federal Paulo Foletto, a manobra do PT para desqualificar ao ministro relator e ao TCU “não foi inteligente. A instituição fez o seu papel, analisou, viu anormalidades e rejeitou. A recomendação que temos na bancada é para acompanhar o TCU. Vamos votar pela manutenção do parecer do TCU, afinal, só no governo de Getúlio Vargas aconteceu isso, em 1937”.

A lista de Gideão

Parecia cena de filme. Na sessão da última segunda-feira (5), o vereador Gideão Svensson (PR), usando a tribuna, ao se pronunciar sobre pedidos de informação feitos à Prefeitura da Serra abriu um rolo de papel e passou a manuseá-lo, a fim de apontar aos ouvintes o tamanho da lista solicitada, segundo ele, com pedidos de informação sem respostas desde janeiro.

Aqui não!

Já o vereador Aldair Xavier, no seu discurso, falou sobre insatisfações com o PTB, partido ao qual está filiado e disse que pretende sair da legenda. Com isso, os colegas passaram a oferecer abrigo em seus respectivos partidos. Entretanto Basílio (Pros) e José Raimundo (PSL) adiantaram que nas suas legendas “as portas estão fechadas”, já que não mais aceitam mandatários entre os pré-candidatos.

Jorjão de roupa nova

Tem chamado a atenção na Câmara da Serra o vereador Jorjão Silva, recém-filiado ao PMDB, se intitular líder daquele partido, que tem como decano o experiente Luiz Carlos Moreira. Este, por sua vez, parece divertir-se com as declarações do colega de plenário e, agora, de legenda.

Câmara conservadora

A Câmara de Vereadores aprovou na quarta-feira (07) o projeto de lei do Plano Municipal de Educação, com metas para os próximos dez anos. Mas diante de todo o conteúdo apreciado na Casa, os parlamentares se detiveram na expressão “diversidade”, que constava do texto e passaram a discutir sobre “os riscos que aquela palavra poderia gerar para as famílias serranas”, já que a escola teria a brecha para discutir diversidade de gênero. Parte da Câmara defendia a retirada da palavra, via emenda parlamentar, e apenas dois vereadores, Gilmar Carlos e Sebastião Sabino (PT), defendiam a sua permanência no texto. A palavra acabou retirada.

Comentários