21.3 C
Serra
terça-feira, 20 de outubro de 2020

Qual é o peso do ex-deputado federal Manato na sucessão serrana

Leia também

Estudo internacional vai avaliar risco de câncer com o pó preto

Avaliar a contaminação por metais no corpo humano e em animais aquáticos da Grande Vitória expostos ao pó preto,...

Alerta | Tuberculose já contaminou quase 100 pessoas este ano na Serra

Quase 100 pessoas foram infectadas pela tuberculose na Serra. Segundo a Prefeitura da Serra até hoje (19), 97 casos...
Ronaldo Cassundéhttps://www.portaltemponovo.com.br
O publicitário e consultor político, Ronaldo Cassundé é autor da coluna 'Falação!'.

Ronaldo Cassundé é o autor da coluna Falação.

Carlos Manato é sem dúvidas um dos grandes líderes da política capixaba na atualidade! De 2002 a 2014, ele foi eleito deputado federal quatro vezes consecutivas. Em 2018, transferiu seus votos para a esposa, Drª Soraya, que assumiu uma das 10 vagas da bancada capixaba em Brasília.

Se este desempenho já era suficiente para lhe assegurar um lugar de destaque entre os pesos-pesados da cena estadual, soma-se ainda o fato dele ter ficado em segundo lugar na última eleição para governador. Além de manter interlocução privilegiada com o Presidente Jair Bolsonaro.

É relevante lembrar que Manato virou candidato ao Governo do Estado na última hora. Pois até então, o PSL havia apresentado a pré-candidatura do Coronel Foreste.

Isso torna comum as especulações sobre qual teria sido o resultado do pleito se o então articulador da candidaturaBolsonaro no Espirito Santo tivesse colocado sido lançadojá no início daquele ano, quando deixou o Solidariedade e ingressou em seu novo Partido.

Não é difícil deduzir que, se tivesse feito uma pré-campanha com mais antecedência, o então deputado federal Manato teria chegado ao segundo turno do pleito de 2018. Naquelas circunstâncias, marcadas pela força do fenômeno Bolsonaro, ele poderia ter vencido as Eleições e hoje seria governador do Estado.

Já sabemos que o “se” não joga! Então, é melhor deixar de lado as especulações sobre o passado e falar do presente! Ou dos dilemas do ex-deputado federal Carlos Manato na sucessão de 2020.

Morador de Vitória, o médico Carlos Manato veio trabalhar no município da Serra em 1986, quando passou num concurso do Hospital Dório Silva, do qual pouco tempo depois tornou-se diretor.

Em 1991, juntamente com outros médicos que atuava no município da Serra, Manato ajudou a criar o Grupo Metropolitano, que deu origem ao Hospital particular com o mesmo nome, localizado em Laranjeiras.

No início do segundo Governo do Prefeito Sérgio Vidigal, em 2001, Manato assumiu a Secretaria de Serviços da Serra. E logo em seguida, no ano de 2002, foi eleito deputado federal pela primeira vez e reconduzido ao cargo nos pleitos de 2006, 2010 e 2014.

É notório: mesmo tendo levado seu domicílio eleitoral de volta para a capital, Manato tem grande capacidade de interferir na política serrana. Juntamente com Vidigal e Audifax, ele é um dos três principais líderes projetados a partir da nossa cidade nos últimos 25 anos.

Com relação ao pleito de 2020, Manato afirma que não será candidato, seja na Serra ou em Vitória. Sua prioridade é fortalecer o Parido no Estado todo. Mas qual Partido?

Se por um lado, é presidente do PSL, por outro, já anunciou que estará engajado na coleta de assinaturas para a criação da “Aliança pelo Brasil”, agremiação a ser fundada sob a tutela do Presidente Jair Bolsonaro.

O próprio Manato admite ser pouco provável que o novo partido consiga disputar as Eleições de 2020. Então, os esforços eleitorais por enquanto serão mesmo encaminhados por dentro do PSL.

Na minha avaliação, o cenário de instabilidade partidária criado pelo presidente Jair Bolsonaro atrapalha os planos do ex-deputado federal. Há sinais de que tá faltando foco em frentes que deveriam ser prioritárias.

Existe o risco do ex-deputado federal desperdiçar o melhor momento da sua carreira, caso não consiga transformar seu prestígio em resultados objetivos nas urnas em 2020.

No município da Serra, a intervenção do PSL nesta fase de pré-campanha tem sido bastante tímida! A capacidade de interferência do seu Presidente estadual na sucessão local é muito maior do que o demonstrado até agora.

A pré-candidatura do deputado Tourino Marques à prefeitura da Serra tem potencial para “fazer barulho” e garantir a visibilidade do Partido junto ao eleitorado mais conservador da cidade.  Mas até agora, o que vimos foi só mais um nome anunciado, sem desdobramentos de maior relevo no tabuleiro serrano!

BURBURINHO

– A presidenta do PC do B no município da Serra, Cida Campos, está trabalhando pesado para garantir que o Partido tenha chapa completa de vereadores em 2020. Ela é aliada de primeira hora do ex-deputado Givaldo Vieira e conhecida por seu bom trânsito junto aos movimentos sociais de esquerda.

–  O deputado federal Sérgio Vidigal foi muito elogiado nas redes sociais pelo seu posicionamento na CCJ favorável à prisão em segunda instância. Segundo postagem do ex-prefeito da Serra, é preciso garantir mais celeridade na justiça e reduzir as instâncias para evitar a prescrição de casos.

–   No dia 24 de novembro haverá eleição para a Associação de Moradores do Bairro Vista da Serra I. O vereador Wellington Alemão compartilhou vários posts de campanha da chapa 2, encabeçada por Leo Gomes.

Ronaldo Cassundéhttps://www.portaltemponovo.com.br
O publicitário e consultor político, Ronaldo Cassundé é autor da coluna 'Falação!'.

Mais notícias

Alerta | Tuberculose já contaminou quase 100 pessoas este ano na Serra

Quase 100 pessoas foram infectadas pela tuberculose na Serra. Segundo a Prefeitura da Serra até hoje (19), 97 casos da enfermidade foram confirmados na...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!