• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 35.308 casos
  • 701 mortes
  • 33.807 curados
26.6 C
Serra
sábado, 23 janeiro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 35.308 casos
  • 701 mortes
  • 33.807 curados

Projeto que torna compulsória a notificação de casos de violência contra mulher, idoso e adolescente é aprovado na Assembleia

Leia também

Serra ultrapassa as 700 mortes por coronavírus e já registra 35.308 casos

A Serra já registra mais de 35.308 casos confirmados e 701 mortes causadas pelo coronavírus. As informações foram divulgadas...

ES vai receber 35,5 mil doses da vacina exportada da Índia e menos de 2 mil serão da Serra

Após fracassadas tentativas de trazer a vacina de Oxford ao Brasil, o governo federal conseguiu viabilizar, juntamente com a...

Serra já vacinou 644 moradores contra a Covid-19 e campanha continua nesta sexta

Desde a última segunda-feira (18), a Serra já vacinou 644 pessoas com a primeira dose do imunizante contra o...
Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

A deputada Janete de Sá é a autora do projeto. Foto: Divulgação

Foi aprovado na sessão virtual da Assembleia Legislativa na última segunda-feira, 15, o Projeto de Lei nº 833/2019, que torna obrigatório a notificação compulsória em casos de violência contra mulheres, idosos, crianças e adolescentes em todos os serviços de saúde e em instituições de ensino e de assistência social, de caráter público, privado ou filantrópico, em todo o território do Estado Espírito Santo.

De acordo com a deputada Janete de Sá (PMN), autora do projeto e Procuradora Especial da Mulher da Ales, o objetivo é ampliar o acesso aos cuidados e proteção às pessoas em situação de violência, não só as mulheres mais também as crianças, os adolescentes e os idosos.

“Com a notificação compulsória vamos conseguir identificar as ocorrência e monitorar os casos de violência notificados, identificar fatores de risco e de proteção associados à ocorrência da violência, definir áreas de maior vulnerabilidade, monitorar os encaminhamentos para a rede de atenção e proteção integral, intervir nos casos, a fim inclusive de prevenir as consequências das violências e encaminhar para a rede de atenção e prevenção, além de construir um banco de dados unificado, articulado, sólido e amparado em um olhar multidisciplinar, facilitando assim a formulação de políticas públicas que trate do problema de forma científica, amparados em dados concretos, com maior chance de assertividade nas tomadas de decisões e elevar o apelo à consciência para a construção de uma cultura da paz”.

O Projeto suplementa as Leis Federais nºs 8.069/1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente); 10.741/2003 (Estatuto do Idoso) e 10.778/2003 (Lei da notificação compulsória dos casos de violência contra a mulher), regulamentando a notificação compulsória – já estabelecidas por esses instrumentos legais – na Administração Pública do Estado do Espirito Santo.

O projeto agora aguarda a sanção ou não do governador do Estado, Renato Casagrande.

Redação Jornal Tempo Novo com informações de assessoriahttps://www.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!