• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 64.837 casos
  • 1.366 mortes
  • 62.968 curados
11.4 C
Serra
sexta-feira, 25 junho - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 64.837 casos
  • 1.366 mortes
  • 62.968 curados

Presidente estadual do PSB não descarta dobradinha com o PDT em 2020

Leia também

Câmara aprova prorrogação dos contratos dos professores em designação temporária

Após um intenso debate e com placar apertado de 10 votos favoráveis e 9 contrários, a Câmara da Serra...

Fortlev abre novas vagas de emprego para moradores da Serra

Líder nacional em soluções para armazenamento de água, a Fortlev abriu novas vagas de emprego para moradores da Serra....

Site de vacina da Serra recebeu 4 milhões de acessos simultâneos; número é maior que população do ES

Quatro milhões e 487 mil. Esse é o número de acessos simultâneos que o site da Prefeitura da Serra...
Mari Nascimento
Mari Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

Gavini e Bruno Lamas. Foto: Divulgação

O presidente estadual do PSB, Alberto Gavini, voltou a falar com a reportagem do jornal Tempo Novo sobre os rumos do partido em 2020. Gavini voltou a defender o nome de Bruno Lamas para a Prefeitura da Serra e avaliou o mandato do vereador da legenda, Cabo Porto.

Tempo Novo: Quais são os rumos do SB da Serra rumo às eleições 2020? Pode selar uma aliança com o PDT na corrida majoritária?

Gavini: Essa é uma conversa local. Não há mudanças na Serra. Sobre a aproximação entre PSB e PDT vamos avaliar a possibilidade de caminhar juntos ou não.

Então está mantida a pré-candidatura de Bruno Lamas à Prefeitura da Serra?
Para o PSB da Serra, nosso candidato é Bruno Lamas. Ele sai da Setades e retorna ao parlamento, às suas atividades na Assembleia Legislativa, dentro do prazo para desincompatibilização. A pré-candidatura está mantida.
A manutenção da pré-candidatura pode dificultar o diálogo com outras legendas?
É um processo democrático, PDT pode ter pré-candidato, PSDB pode. O PSB é um partido organizado; tem diretório nos 78 municípios do Estado. Entende que é importamte contribuir com o debate na Serra em 2020. Não temos inimigos, teremos adversários na campanha.
O que faria a legenda recuar desta candidatura?
Nesse momento não há nada que faça recuar a candidatura. Hoje o Bruno Lamas é o candidato do governador e do PSB. Tem conteúdo e exoperiência. Vamos conversar com outros partidos e evoluir.
O posicionamento do vereador da legenda, Cabo Porto, ainda tem incomodado às lideranças do PSB?
Foi feita uma conversa do comando municipal com Porto e ele terá que reavaliar suas atitudes, uma vez que o PSB tem dificuldade para conviver com isso. Nós podemos ter amigos em todos os partidos, isso inclui quem não se alinhar com a filosofa do partido. Dentro do PSB nós somos contra essas coisas, como posse de armas. O partido já conversou com ele, o PSB estadual ainda não entrou nessa conversa. Se entendermos que não está alinhado, vamos participar da conversa na Serra. Não tenho detalhes da conversa, que foi feita com Márcia Lamas, a presidente. Hoje o Porto é um vereador do partido, temos respeito por ele e gostaríamos que ele se mantivesse no partido, mas para isso teria que se ajustar com a Executiva.

 

Mari Nascimento
Mari Nascimento é repórter do Tempo Novo há 18 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!