21.6 C
Serra
quinta-feira, 04 de junho de 2020

Presidente Bolsonaro extingue horário de verão

Leia também

Para conviver com filhos, pais separados devem se adaptar na quarentena

Este artigo não remete necessariamente a opinião do Portal Tempo Novo, mas sim do advogado Leandro Sarnáglia. Desde o início...

Serra vai acolher idosos positivos para Covid-19 em hotel durante quarentena

A Prefeitura da Serra oferece uma nova modalidade de acolhimento no município para idosos e pessoas com deficiência. O...

Em live, prefeito da Serra e do Macapá discutem gestão e pandemia nesta quarta

Os prefeitos Audifax Barcelos (Rede), da Serra, e Clecio Luiz, do Macapá, realizam live nesta quarta-feira (3) para discutir...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O decreto foi assinado na manhã desta quinta-feira (25). Foto: Divulgação

Numa cerimônia realizada no Palácio do Planalto na manhã desta quinta-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto que extingue o horário de verão a partir deste ano. A medida já havia sido anunciada pelo presidente no dia 5 de maio.

Segundo informações da Agência Brasil, a decisão foi baseada em recomendação do Ministério de Minas e Energia, que apontou pouca efetividade na economia energética, e estudos da área da saúde, sobre o quanto o horário de verão afeta o relógio biológico das pessoas.

De acordo com o secretário de Energia Elétrica do MME, Ricardo Cyrino, a economia de energia com o horário de verão diminuiu nos últimos anos e, neste ano, estaria perto da neutralidade. “Na ótica do setor elétrico, deixamos de ter o benefício”, disse.

Cyrino afirmou que o horário de verão foi criado com o objetivo de aliviar o pico de consumo, que era em torno das 18 horas, e trazer economia de energia na medida em que a iluminação solar era aproveitada por mais tempo. “Com a evolução da tecnologia, iluminação mais eficiente, entrada de ar-condicionado – que deslocou o pico de consumo para as 15 horas – e também a substituição de chuveiros elétricos [por aquecimento solar, por exemplo], que coincidia com a iluminação pública às 18 horas, deixamos de ter a economia de energia que havia no passado e o benefício do alívio no horário de ponta, às 18 horas”, explicou.

O horário de verão foi criado em 1931 e aplicado no país em anos irregulares até 1968, quando foi revogado. A partir de 1985, foi novamente instituído e vinha sendo aplicado todos os anos, sem interrupção. Normalmente, o horário de verão começava entre os meses de outubro e novembro e ia até fevereiro do ano subsequente, quando os relógios deveriam ser adiantados em uma hora em parte do território nacional.

O secretário afirmou ainda que nos últimos 87 anos de instituição do horário de verão, por 43 anos o país ficou sem adotar a medida e que ela pode ser instituída novamente no futuro. “Tivemos muitas alternâncias. Vamos continuar fazendo avaliações anuais e nada impede que, no futuro, caso venha a ser conveniente na ótica do setor elétrico, vamos sugerir novamente a introdução do horário de verão. Por hora, ele não faz mais sentido.”

Comentários

Mais notícias

Serra vai acolher idosos positivos para Covid-19 em hotel durante quarentena

A Prefeitura da Serra oferece uma nova modalidade de acolhimento no município para idosos e pessoas com deficiência. O Hotel Praia Sol, localizado em...

Em live, prefeito da Serra e do Macapá discutem gestão e pandemia nesta quarta

Os prefeitos Audifax Barcelos (Rede), da Serra, e Clecio Luiz, do Macapá, realizam live nesta quarta-feira (3) para discutir temas referentes à pandemia do...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!