24.6 C
Serra
domingo, 09 de agosto de 2020

Prefeitura gasta mais de 7 milhões por ano para limpeza de lixões

Leia também

Está procurando emprego? Sine da Serra abre 79 vagas de trabalho nesta segunda

Quem está procurando uma oportunidade de trabalho deve ficar atento. A semana vai começar com 79 vagas abertas no...

“Não é uma gripezinha, é uma pandemia”, diz Contarato sobre 100 mil mortes por Covid-19

O senador capixaba Fabiano Contarato (Rede) se manifestou sobre as 100 mil mortes causadas pelo coronavírus desde o início...

Brasil ultrapassa 100 mil mortes causadas pela Covid-19

O Brasil atingiu neste sábado (8) o número de 100 mil 477 mortes por Covid-19, desde o início da...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O lixão de Jardim Tropical é um dos piores do município. Foto: Arquivo TN / Gabriel Almeida

Por Gabriel Almeida

Mais de 7 milhões. Esse é o valor que o morador da Serra paga para que a Prefeitura limpe todos os 600 pontos irregulares de descarte de lixo espalhados pela cidade.

A informação é do secretário de Serviços da Serra, Samuel Dias que frisou que um dos piores lixões fica em Jardim Tropical.  A reportagem do Jornal Tempo Novo,  esteve neste bairro, em julho deste ano, e presenciou vários moradores descartando todo tipo de material no local, que fica em frente a uma creche municipal e ao lado de uma escola.

Os pontos viciados se espalham pela cidade e geram um custo de 630 mil reais por mês aos cofres públicos.

Mas o próprio morador pode ajudar para que essa quantia seja diminuída e utilizada em outros benefícios para a população. Isso porque no município existe o projeto João de Barro que fica em Novo Porto Canoa, onde todos os moradores podem descartar entulhos, restos de móveis e outros resíduos, menos lixo doméstico que é recolhido semanalmente nos bairros.

Qualquer morador da Serra pode depositar até 10 sacos de entulho e outros móveis no local. “Qualquer pequeno gerador pode ir até o local e depositar o lixo produzido por ele mesmo”, explica Samuel.

IMG_3776
Principalmente carroceiros usam o ponto irregular em Jardim Tropical para descartar todo tipo de resíduo. Foto: Arquivo TN / Gabriel Almeida

O secretário ainda pede  que a população não jogue lixo em locais irregulares. “O caminhão do lixo passa nas comunidades três vezes por semana e já existe multa para quem for pego jogando lixo nesses pontos clandestinos”, explica o secretário.

É importante reforçar que o projeto não recolhe entulho do grande gerador. Quem produz mais de 10 sacos de resíduos deve contratar uma empresa que recolhe o material e o descartar em pontos legalizados.

O João de Barro fica aberto das 8h às 17h00 e funciona de segunda a sexta. O lixo depositado no local é recolhido pela prefeitura que tem convênio com uma empresa que descarta todo material em local correto próximo a rodovia do Contorno.

Para mais informações sobre o projeto, o telefone do João de Barro é 3341-4153. Agora, se o caso for de denúncia de flagrante de descarte irregular o morador pode ligar para o 0800 283 97 80 ou 3291-7435.

Comentários

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

“Não é uma gripezinha, é uma pandemia”, diz Contarato sobre 100 mil mortes por Covid-19

O senador capixaba Fabiano Contarato (Rede) se manifestou sobre as 100 mil mortes causadas pelo coronavírus desde o início da pandemia no Brasil. O...

Brasil ultrapassa 100 mil mortes causadas pela Covid-19

O Brasil atingiu neste sábado (8) o número de 100 mil 477 mortes por Covid-19, desde o início da pandemia do novo coronavírus. Nas...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!