• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.183 curados
26.3 C
Serra
segunda-feira, 18 janeiro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 33.518 casos
  • 683 mortes
  • 32.186 curados

“Praça pela Diversidade” para promover amor e respeito às pessoas LGBTI

Leia também

Técnica de enfermagem, de 55 anos, será a primeira capixaba vacinada contra Covid-19

Iolanda Brito, de 55 anos, será a primeira capixaba que receberá a vacina contra o coronavírus. Ela receberá sua...

Com ajuda da Polícia Militar, prefeitura impede invasão de área da Vale na Serra

O que poderia ser mais uma invasão de terra na Serra foi impedida no último domingo (17) numa ação...

Sem água há 3 dias, moradores da Serra se revoltam e protestam contra a Cesan

Após passar por mais de três dias sem receber uma gota de água nas suas residências, moradores do bairro...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Membros do Fórum LGBTI da Serra. (Foto: Divulgação)

Hoje é dia 17 de maio. Poderia ser apenas mais uma data no calendário. Mas há quase 30 anos, ela foi escolhida como o Dia Internacional de Combate à LGBTIfobia, contra a discriminação de lésbicas, gays, bissexuais, pessoas trans e intersexo.

Para marcar esse dia, o Fórum Municipal pela Diversidade Sexual da Serra, em parceria com a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (Sedir), promove no dia 22 de maio (quarta-feira), a partir das 18h, a “Praça pela Diversidade, Por Respeito e Por Amor”. Será na praça Dr. Pedro Feu Rosa, em frente ao prédio da Sedir, em Serra Sede.

“Nosso evento terá momentos de lazer, performances artísticas, exibição de curtas e debate. Também faremos ações de panfletagem em Serra Sede”, explica Layza Lima, presidenta do Fórum. Quem também se apresenta é o DJ Welington Luy. Segundo ela, a data ainda faz alusão à quinzena estadual de combate à LGBTIfobia, e diversas ações serão realizadas ao longo da semana.

Segundo Layza, esse é um importante momento para reafirmar a liberdade e a equidade das pessoas LGBTI. “Ainda lutamos para que as pessoas trans possam ter a sua identidade de gênero respeitada. Nosso evento vem reafirmar nossa existência como indivíduos desta sociedade que nos estigmatiza”, frisa.

Ela também ressalta a importância de se ocupar “os centros de poder” do município com as bandeiras e os anseios desse movimento, por uma cidade justa e igual. “É também quebrar barreiras e cobrar políticas públicas para as pessoas LGBTIs serranas”, completa Layza.

Vale lembrar, ainda, que o Fórum LGBTI da Serra se reúne na segunda terça-feira de cada mês, na Sala de Reuniões da Sedir, na Sede do município.

Breve histórico
No dia 17 de maio de 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da lista da CID, a Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde. Sendo assim, passou a não ser mais tratada como uma doença ou distúrbio mental, dando um grande passo para o reconhecimento dos direitos individuais de lésbicas, gays, bissexuais, pessoas trans e intersexo.

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há seis anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!