19.5 C
Serra
sexta-feira, 05 de junho de 2020

‘Poda’ detona restinga em Jacaraípe

Leia também

Deputado defende redução de gastos do Governo com publicidade

A Assembleia Legislativa endereçou ao Governo do Estado Indicação 927/2020 para que  apenas realize despesas com publicidade e propaganda...

Cesan vai ter que devolver tarifa de esgoto cobrada indevidamente, diz líder comunitário

A Cesan vai devolver tarifas de esgoto cobradas indevidamente de moradores de Balneários Carapebus. É o que afirma o...

MPF aponta que ES tem menos leitos de UTI do que constam nos dados oficiais

Na tarde desta quinta-feira (4) o Ministério Público Federal (MPF) fez uma denúncia preocupante para o Espirito Santo. O órgão...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

A 'poda' fragilizou a vegetação da praia que ajuda a proteger a desova de tartarugas, entre outras espécies que dependem da saúde da restinga. Foto: Claudiney Rocha
A ‘poda’ fragilizou a vegetação da praia que ajuda a proteger a desova de tartarugas, entre outras espécies que dependem da saúde da restinga. Foto: Claudiney Rocha

Depredação. Este foi o resultado de uma ‘poda’ feita nesta sexta (06) pela prefeitura da Serra na restinga de Jacaraípe entre as praias do Solemar e Barrote. A denúncia é do ativista e diretor do Instituto Brasileiro de Fauna e Flora (Ibraff) Claudiney Rocha.

“Se fosse para cortar plantas exóticas, como as castanheiras, estava correto. Mas não. Cortaram aroreiras, pitangueiras e outras plantas nativas no talo. Foi um corte rasteiro, um absurdo”, desabafa.

Claudiney disse que interpelou os homens que faziam o corte. Estes teriam dito ao ambientalista que possuíam autorização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma).

Ele falou ainda que esses homens chegaram a comentar que a ‘poda’ também teria o apoio de alguns comerciantes e moradores da orla sob o argumento de que a vegetação alta serve de esconderijo para bandidos e consumidores de droga.

A secretária de Meio Ambiente da Serra, Andréia Carvalho, disse que na próxima segunda (09) uma equipe da Semma irá ao local para avaliar o que foi feito. Andreia frisou que a intenção inicial era a retirada apenas de espécies exóticas que atrapalham o crescimento da restinga.

Mau exemplo

O caso lembra a ação desastrosa da prefeitura de Guarapari que, sob o argumento de poda, destruiu a restinga das praias da Bacutia e Peracanda em novembro do ano passado. O fato teve grande repercussão e gerou uma enxurrada de críticas.

Comentários

Mais notícias

Cesan vai ter que devolver tarifa de esgoto cobrada indevidamente, diz líder comunitário

A Cesan vai devolver tarifas de esgoto cobradas indevidamente de moradores de Balneários Carapebus. É o que afirma o líder comunitário local, Anderson Muniz....

MPF aponta que ES tem menos leitos de UTI do que constam nos dados oficiais

Na tarde desta quinta-feira (4) o Ministério Público Federal (MPF) fez uma denúncia preocupante para o Espirito Santo. O órgão disse em sua denúncia que...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!