27.7 C
Serra
domingo, 29 de março de 2020

Pague 26 e leve 23 | Confira a coluna Nó da Gravata desta sexta (24)

Leia também

“Meu Título de Eleitor permanece em Vitória”, diz Amaro Neto, que vinha sendo cotado para a Prefeitura da Serra

Uma suposta consulta do deputado federal Amaro Neto (Republicanos) ao Cartório Eleitoral da Serra causou alvoroço no mercado politico...

ArcelorMittal vai parar mais um alto-forno em Tubarão

Maior indústria instalada na Serra e 3ª maior planta produtora de aço do Brasil, a ArcelorMittal Tubarão anunciou que...

Espírito Santo tem 7 novos casos de Covid-19

O Espírito  Santo tem sete novos casos do novo coronavirus, segundo da informação divulgada pelo governador Renato Casagrande no...
Maria Nascimento
Maria Nascimento é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal, principalmente para a de Política.


Pague 26 e leve 23

Após os vereadores de oposição colocarem o ‘pé na porta’ contra a posse do suplente de vereador Fábio Latino (PSB), o clima esquentou. Para contextualizar, alguns parlamentares estão se movimentando para impedir que Latino assuma a função do vereador Geraldinho Feu Rosa (afastado por suspeita de corrupção). Eles argumentam que a Câmara estaria pagando salários demais, já que a Casa contabiliza três vereadores afastados e dois suplentes empossados; todos recebem os vencimentos de R$ 9 mil/mês. Na prática, com Latino exercendo a função, a Câmara teria 23 cadeiras; entretanto, pagaria salário para 26.

“Submundo da política”

Latino, por sua vez, recorreu às redes sociais e subiu o tom. Ele disse que a Câmara está “rasgando a Constituição” e classificou o movimento de alguns parlamentares como o “submundo da política suja, antiga e arcaica” e pediu que o “deixem trabalhar”, pois é “injustiça e perseguição” o fato de não ser convocado para assumir a vaga.

No papo ou na Justiça

Para o TEMPO NOVO, um dos vereadores que encabeçam o movimento, Ailton Rodrigues (PSC), disparou contra Latino e afirmou que o suplente não procurou a Câmara para conversar: “Isso é uma atribuição do presidente [convocar o suplente]. Se ele entender que é importante convocar, que convoque. Se achar que não, não convoque. E quem estiver insatisfeito que recorra à Justiça [se referindo a Latino] e que espere a Justiça decidir. Se estivesse conversando desde o início, talvez já estaria [na Câmara]. Mas entendeu que o caminho da Justiça é mais seguro. E pode ter certeza de que a Câmara vai recorrer junto ao Tribunal de Justiça”…

Oposição desidratada

O bastidor: com o afastamento do vereador Nacib Haddad (PDT), em abril de 2019, e, posteriormente, Geraldinho Feu Rosa, a oposição foi perdendo poder de mobilização. Com isso, o prefeito Audifax Barcelos (Rede) conseguiu ‘facilitar sua vida’ na Câmara. Com a chegada de Latino, que tem um alinhamento com a base governista, a oposição desidrata ainda mais. Por isso, esperava-se que Latino abrisse um diálogo com o grupo oposicionista (que domina as comissões da Câmara), fato que não ocorreu e, por isso, o grupo colocou o pé na porta em sua convocação. Além disso, Latino será novamente candidato a vereador nesse ano, e com o mandato na mão, poderá ter mais capacidade de se viabilizar e tomar uma vaga.

Mergulhador nas férias

E o presidente Rodrigo Caldeira (Rede) nisso? Esse sumiu… Nem um pio. E a Justiça? Está de férias. Procurada, a assessoria da juíza Telmelita Guimarães foi questionada sobre uma possível decisão nos próximos dias sobre o pedido de Fábio Latino para tomar posse do cargo de vereador. Em nota, a assessoria limitou-se a dizer que a juíza “está de férias”.

PT quer a Prefeitura

Na quinta-feira passada (16), o PT da Serra se reuniu e decidiu por listar cinco nomes que poderão ser pré-candidatos a prefeito pela sigla. Segundo o presidente municipal da legenda, Miguel Júnior, são eles: Gilmar Ferreira, pela corrente interna Articulação da Esquerda; Caetano Roque, que é um militante antigo da sigla; Paulo César Borba e Fernanda Maria de Souza, pela CNB; e Cleber Lanes, pela Alternativa Socialista. Miguel ainda disse que o partido deve lançar uma campanha “puro sangue”, mas que dialoga com outras siglas em busca de apoio.

Comentários

Mais notícias

ArcelorMittal vai parar mais um alto-forno em Tubarão

Maior indústria instalada na Serra e 3ª maior planta produtora de aço do Brasil, a ArcelorMittal Tubarão anunciou que vai paralisar o Alto-Forno 03....

Espírito Santo tem 7 novos casos de Covid-19

O Espírito  Santo tem sete novos casos do novo coronavirus, segundo da informação divulgada pelo governador Renato Casagrande no final da tarde deste sábado...

Indústria faz campanha para consumidor priorizar produto capixaba

A Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) lançou esta semana campanha para que o consumidor capixaba compre produtos produzidos no Estado. A campanha diz...

Mais de 43 mil moradores já se vacinaram contra gripe na Serra

Durante a primeira semana da Campanha de Vacinação contra gripe para os grupos prioritários, a Serra já imunizou mais de 43 mil moradores. De...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem