26.5 C
Serra
domingo, 19 de janeiro de 2020

Degradação ambiental já!

Leia também

Novo surto de dengue | Confira a ‘Charge do TN’ desta semana

Um aviso emitido pelo Ministério da Saúde deixou diversos municípios capixabas em alerta, inclusive a Serra. Isso porque 11...

Poesia e música no Centro Cultural, em São Diogo, neste sábado

Neste sábado (18), às 18 horas, acontece a primeira edição do Sarau do Beco do Centro Cultural Eliziário Rangel,...

Prazer, sou doutor – Confira ‘O Nó da Gravata’ desta sexta

A coluna 'O Nó da Gravata' é escrita pela repórter de política, Maria Nascimento. Os textos são publicados...
Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Bruno Lyra 

Com a possibilidade de ser apreciado pelo plenário nas primeiras semanas de agosto, o projeto da Nova Lei do Licenciamento Ambiental, relatado pelo deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), representa mais um retrocesso nas políticas de proteção ao meio ambiente no Brasil.

Um dos itens propostos pela nova lei é a eliminação da exigência para licença ambiental para implantação de qualquer tipo de estrada. Eventuais exageros, excesso de burocracia e ineficiência dos órgãos ambientais em processos de licenciamento, a ponto de travar projetos importantes, não podem ser usados como justificativa para eliminar a necessidade de licenças ambientais. Propostas desse tipo soam como matar o boi para acabar com os carrapatos que estão nele.

Ao invés de melhorar o trabalho dos órgãos ambientais e aperfeiçoar leis, há um desmantelamento de ambos em curso. No caso das estradas, se com as licenças ambientais já é complexo garantir cumprimento dos compromissos de mitigação e compensação dos impactos, imagine sem elas.

Veja o caso do contorno do Mestre Álvaro, obra importante para a cidade, o ES e até o país, mas de grandes estragos na natureza de área sensível. Para fazer a obra, gestores tiveram que elaborar estudo de impacto ambiental. Foi levantado, por exemplo, que a obra afetará 168 espécies de animais e 63 de plantas distribuídas nos 30 hectares de vegetação que serão removidos.

O documento cita, também, os alagados do entorno do Mestre Álvaro. Para reduzir e/ou compensar estragos, a licença prevê instalação de túneis para a passagem dos bichos e investimento de R$ 1 milhão para melhorar a proteção em três reservas ambientais: Apas Mestre Álvaro e Vilante, na Serra, e Duas Bocas, Cariacica.

Em relação aos alagados e cursos d’água, exige-se ações específicas para reduzir o deslocamento de terra na borda do aterro da estrada e evitar um colapso na drenagem, impedindo enchentes anômalas na região ou secas tão intensas a ponto de piorar o já conhecido incêndio nos solos de turfa.

Por conta do licenciamento ambiental, tudo isso foi apresentado em Audiência Pública e está disponível em documento (EIA-Rima) no site do Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema). Acabar com isso, além de piorar a degradação, tira da sociedade ferramentas para fiscalizar e exigir o cumprimento de compromissos assumidos.

Comentários

Mais notícias

Poesia e música no Centro Cultural, em São Diogo, neste sábado

Neste sábado (18), às 18 horas, acontece a primeira edição do Sarau do Beco do Centro Cultural Eliziário Rangel, em São Diogo. O evento...

Prazer, sou doutor – Confira ‘O Nó da Gravata’ desta sexta

A coluna 'O Nó da Gravata' é escrita pela repórter de política, Maria Nascimento. Os textos são publicados todas as sextas-feiras na edição...

Acabou o tempo de Audifax | Leia o editorial do Tempo Novo

Por Yuri Scardini  Está marcado para logo após o Carnaval (final de fevereiro) a revelação do prefeito Audifax Barcelos (Rede) sobre o escolhido para defender...

Apocalipse das águas | Leia o editorial do Tempo Novo

Por Bruno Lyra Estudo do pesquisador Ângelo Fraga Bernardino, do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), confirmou a contaminação crônica por...

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!