23.7 C
Serra
sábado, 16 outubro - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

Opinião | Cala a boca você, Bolsonaro

Leia também

Câmara da Serra lança campanha para arrecadar e distribuir absorventes íntimos

A discussão sobre pobreza menstrual mobilizou a Mesa Diretora da Câmara da Serra. O presidente da Casa, vereador Rodrigo...

Serrana consegue anular dívida de R$ 14 mil após procurar ajuda no Procon-Ales

Com base na Lei 11.353, de autoria do deputado Vandinho Leite, que diz que moradores atuais das residências não...

Vidigal anuncia programa para castração e recolhimento de cães e gatos no município

O prefeito da Serra, Sérgio Vidigal, anunciou na tarde desta sexta-feira (15) que está criando, por meio da secretaria...
Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Jair Bolsonaro (sem partido) vem enfrentando aumento de críticas sobre a condução de sua gestão em relação à pandemia da Covid-19. Foto: Marcos Corrêa/Agência Brasil

Eu deveria estar usando o pronome ‘senhor’ para me dirigir ao presidente da República. Mas Bolsonaro não merece. O que ele tem feito de 2019 para cá é achincalhar o mais importante cargo público do país, atacando sistematicamente a Constituição e até valores básicos da civilização.

Nesta segunda-feira (21) o ex- capitão do Exército voltou a mandar um repórter calar a boca. Desta vez foi Laurene Santos, de TV Vanguarda, afiliada da Globo, que havia perguntado o porque do presidente ter circulado sem máscara na cidade de Guaratinguetá – SP num momento em que a pandemia segue sem controle e com meio milhão de vítimas fatais no país.

Na condição de presidente, Bolsonaro já havia mandado outros repórteres calarem a boca. Foi em 05 de maio, em Brasília, no calor da crise gerada pela demissão do então ministro Sérgio Moro, que acusara o presidente de trocar o comando da Polícia Federal para supostamente tentar blindar seu filho Flávio de investigações em curso que apontam ligação do rapaz com milícias e esquema de rachadinha quando era deputado estadual. Os repórteres haviam perguntado a Bolsonaro se ele tinha interferido na troca de comando da PF, quando ouviram de reposta o cala a boca.

É dever da imprensa perguntar. É direito também, o artigo 220 da Constituição deixa claro ao proibir qualquer tipo de censura de natureza política, ideológica ou artística. E é obrigação dos agentes públicos responderem, afinal, administram o dinheiro de todos.

Portanto a postura de Bolsonaro afronta as leis do país e é incompatível com a de um presidente da República. E pior, cada dia mais vai fomentando a radicalização de seu ruidoso séquito de fanáticos e os encorajando a agredir verbal e fisicamente não só os profissionais da imprensa, mas qualquer pessoa que os questionem.

Emblemático também o fato de que o cala a boca de ontem tenha sido contra uma mulher. Bolsonaro fez questão de tirar a máscara para vociferar descontrolado aspergindo perdigotos na cara da profissional e sua equipe. Uma atitude misógena, grotesca e de desprezo pelo cuidado sanitário que o momento exige. Prova inequívoca de que sua permanência no cargo é ameaça não só para o Brasil, mas para a humanidade.

Em nome de Laurene Santos e de todas as pessoas que trabalham para levar ao público notícias bem apuradas: Se for para falar barbaridades que só promovem o caos no país, cala a boca você, Bolsonaro.

Bruno Lyra, repórter do Jornal Tempo desde 2005

Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!