24 C
Serra
segunda-feira, 13 de julho de 2020

Novas regras para abastecimento de combustível

Leia também

Trecho entre terminais de Laranjeiras e de Jacaraípe pode ter faixa exclusiva de ônibus

Tramita em regime de urgência na Assembleia Legislativa o projeto de lei (PL) que viabiliza corredor de ônibus na...

Deputados capixabas querem hidroxicloroquina para tratamento da Covid-19

Após coletiva de imprensa promovida pelo Conselho Regional de Medicina (CRM-ES), para apresentação de um estudo técnico sobre a...

Mais dois moradores da Serra morrem por coronavírus e cidade registra 361 óbitos

Desde o final de semana,  a Serra vem registrando baixos números de mortes causadas pela Covid-19. Nas últimas 72...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

As novas regras passam a valer a partir do dia 13 de agosto. Foto: Divulgação

O abastecimento de combustível no Espírito Santo terá novas regras a partir do dia 13 de agosto.

Isto porque os postos não poderão mais continuar enchendo o tanque de veículos quando for acionada a trava automática de segurança da bomba.

A proibição consta na Lei Estadual 10.393/2015, que é de autoria da deputada Luzia Toledo (PMDB). As novas regras passam a valer 30 dias após a publicação da lei, feita nesta terça-feira (14), no Diário Oficial do Estado.

Segundo a autora, a norma visa evitar dano em filtros situados na boca de entrada do tanque de combustível. Esses filtros têm como função absorver o vapor que sai do tanque, reduzindo os gases lançados pelos veículos na atmosfera. Segundo Luzia, se houver combustível em excesso, acaba inundando o filtro do sistema, o que o faz perder a capacidade de filtrar os gases.

Além de danos causados ao meio ambiente, o problema pode acarretar, como destaca a parlamentar, despesas para o proprietário do veículo, pois o filtro é feito com elementos de carvão, que acabam se soltando dentro do tanque, podendo danificar o motor.

Ela aponta ainda outra razão para a nova regra: preservar a saúde dos frentistas e dos motoristas. De acordo com Luzia Toledo, análise realizada sobre a toxicidade de substâncias adicionadas irregularmente à gasolina leva a concluir que tal adulteração produz efeitos prejudiciais à saúde pública. Uma das substâncias, o benzeno, é considerada uma das mais tóxicas de todas as utilizadas nos processos industriais.

A lei prevê multa de R2,6 mil para quem não cumprir as regras. O valor poderá ser cobrado em dobro em caso de reincidência.

 

Comentários

Mais notícias

Deputados capixabas querem hidroxicloroquina para tratamento da Covid-19

Após coletiva de imprensa promovida pelo Conselho Regional de Medicina (CRM-ES), para apresentação de um estudo técnico sobre a importância do uso da hidroxicloroquina...

Mais dois moradores da Serra morrem por coronavírus e cidade registra 361 óbitos

Desde o final de semana,  a Serra vem registrando baixos números de mortes causadas pela Covid-19. Nas últimas 72 horas, o município registrou três...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!