20.3 C
Serra
quinta-feira, 28 de Maio de 2020

Município quer vender terrenos para pagar previdência dos servidores

Leia também

Fábio Duarte, escolhido por Audifax para ser o seu sucessor, fala um pouco da sua história

Administrar uma Prefeitura como a da Serra, o município mais populoso do Estado, não é para qualquer um. Suceder...

Destruição da Mata Atlântica reduz no ES, mas cresce em outros estados

Em tempos onde Brasília age abertamente para reduzir a proteção ambiental no país, uma boa notícia para os capixabas....

Polícia Rodoviária apreende 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na Serra

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu uma carga de caminhão com 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

No Civit II estão previstos o leilão de quatro terrenos sendo o maior deles de 12 mil m² no valor de quase R$ 10 milhões. Ao todo são estimados R$ 23 milhões. Foto: Divulgação

Tramita na Câmara da Serra o Projeto de Lei (PL) 192/2018, que autoriza a desafetação e venda de nove imóveis em desuso de propriedade da Prefeitura da Serra. Um encontro entre vereadores e membros da equipe do prefeito aconteceu na segunda-feira (26) para discutir a proposta. A previsão era de que a proposta entrasse na pauta desta quarta-feira (28), mas isso não aconteceu. 

O projeto tem como pano de fundo enxugar a máquina e, ao mesmo tempo, se antecipar às projeções de dificuldades para quitar a previdência nos próximos anos. Com a venda, a administração prevê um lucro de R$ 23 milhões. Este valor seria direcionado para o Instituto de Previdência dos Servidores (IPS) para amortizar um déficit orçamentário previsto para os próximos anos, chamado de déficit atuarial, que são cálculos que indicam que no futuro não haverá dinheiro para saldar benefícios de caráter previdenciários.Segundo informações contidas no projeto, devem ser colocados à venda, na modalidade leilão.

Embora a matéria tenha sido protocolada com pedido de votação em regime de urgência especial, com possibilidade de votação na quarta-feira (21), o projeto emperrou na dúvida que alguns vereadores levantaram sobre a venda. Em função disso, uma reunião seria realizada no dia 26/11.

“A reunião onde iríamos discutir o PL 192, referente à venda dos terrenos, acabou não acontecendo, e na segunda-feira (26) falamos sobre outras propostas. Não discutimos ainda este projeto. Não fomos informados quando será incluído na pauta. Deve ser bem discutida essa proposta”, adiantou o vereador Wellington Alemão (DEM). 

O presidente da Câmara da Serra, Rodrigo Caldeira (Rede), confirmou que os vereadores devem discutir a proposta com a equipe da prefeitura. 

“Nós vamos discutir a matéria com a secretaria ainda. Então não vai para a pauta segunda (3/11)”, explicou Caldeira. 

A Secretaria de Comunicação da Prefeitura da Serra foi procurada para informar detalhes sobre o projeto, qual era a destinação inicial dos terrenos e se há necessidade de se vender os imóveis, uma vez que a destinação dos recursos é o IPS. Em nota, informou que “É prevista na legislação a oferta de bens imóveis para quitação de custos previdenciários”.

Comentários

Mais notícias

Destruição da Mata Atlântica reduz no ES, mas cresce em outros estados

Em tempos onde Brasília age abertamente para reduzir a proteção ambiental no país, uma boa notícia para os capixabas. Houve redução de 31% na...

Polícia Rodoviária apreende 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na Serra

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu uma carga de caminhão com 1.440 caixas de cervejas sem nota fiscal na madrugada desta quarta-feira (27), no...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!