• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados
25.4 C
Serra
quinta-feira, 13 maio - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados

Moradores se mobilizam para salvar área verde em São Patrício

Leia também

Lixão em Novo Porto Canoa tira sono de moradores que pedem providência

Um imenso lixão está se formando na Avenida Amazonas, em Novo Porto Canoa, no terreno que fica em frente...

Festival apresenta 12 atrações musicais capixabas de diferentes estilos e linguagens

Doze atrações musicais capixabas com performances que entregam grito por diversidade e liberdade. E mais: dança, rock, fala, hip...

De mochilão e bicicleta, amigos vem pedalando da Argentina para conhecer belezas da Serra

Imagine conhecer o litoral brasileiro dando muitas pedaladas? Uma aventura e tanto, não é? Em busca da liberdade e...
Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Os moradores vizinhos à mata Victor Hugo e Ederval ‘Vavá’ Gomes estão engajados na proteção do lugar. Foto: Divulgação

Moradores de Jacaraípe estão se mobilizando para salvar uma preciosidade existente num fundo de vale do bairro São Patrício: um remanescente de mata Atlântica, que além de abrigo para animais silvestres, possui também nascentes em seu interior. Deposição de lixo, entulho além da pressão imobiliária – incluindo tentativas de invasão – são as maiores ameaças.

A área verde fica no final da rua Jásper e ocupa um perímetro de cerca de 800 metros, como conta o produtor cultural, empresário e um dos apoiadores da iniciativa de preservação, José Fernando Pereira.

Pássaro nativo conhecido como frango d’água fotografado na última quinta-feira (02) na mata. Foto: Divulgação/José Fernando

Segundo ele, o espaço é definido como Zona de Proteção Ambiental (ZPA) no Plano Diretor do Município. “Como pessoas que amam a vida, precisamos nos unir para preservarmos este espaço que está sendo destruído pela invasão irregular. Ali há macacos, coelhos, lagartos, gambás, aves como periquito, bem-te-vi, juriti, lambua, jacupemba, enfim, uma variedade enorme”, enumera José Fernando.

Moradores e ativistas José Fernando (de máscara preta) e Luciano ‘Tio Lú’ Andrade pretendem replicar modelo de proteção a outros remanescentes florestais urbanos da Grande Jacaraípe. Foto: Divulgação/José Fernando

Na última quinta-feira (02) José Fernando esteve no local, retirou alguns entulhos e limpou uma placa da Prefeitura da Serra que indica ser aquele espaço de preservação. A ação contou com ajuda do ativista ambiental e turismólogo Luciano Andrade, o Tio Lú, que também é morador da região.

“Num pequeno recorte temos essa riqueza. Apesar de ter plantas exóticas como mangueiras e jaqueiras, há também as nativas. A vegetação ajuda a reduzir o calor, purificar o ar. Por seu um vale, o local também ajuda a reter água da chuva, auxiliando na redução de alagamentos. Nosso objetivo não é só preservar essa área verde. Esperamos que a ação sirva de gatilho para outras iniciativas comunitárias de proteção ambiental na Grande Jacaraípe”, acrescenta Tio Lú.

O turismólogo ressalta que a ideia é que o local receba manutenção e estrutura para servir como área de lazer, turismo contemplativo, de observação de pássaros e educação ambiental. “O poder público tem seu papel, mas participação da comunidade é fundamental. Ela é quem precisa se emponderar para transformar esse local em espaço de vivência, requalificar esse território”, avalia.

Construção barrada    

Morador vizinho à área verde há mais de 20 anos e também comerciante em São Patrício, Ederval Gomes da Silva, o Vavá, disse que a fiscalização da prefeitura chegou a impedir que uma casa fosse construída irregularmente no local.

“Já houve muitas tentativas de invasão. Tem até hoje parte de uma casa que a fiscalização barrou a construção que já havia sido iniciada.  Mas ainda há gente que joga lixo, entulho. Gostaríamos que a prefeitura fizesse a manutenção quando há queda de árvores. Que colocasse bancos no entorno. Quem tenta manter limpo e dar manutenção são os próprios moradores vizinhos”, diz Vavá.

A mata fica rodeada pelo concreto e asfalto da urbanização e, segundo moradores, sofre pressão imobiliária. Imagem: Divulgação/Google Earth

O morador acrescenta que há duas nascentes na área verde, que dependendo do volume de chuvas fluem em direção ao rio Jacaraípe.

Moradora de São Patrício há 38 anos, Eleuza Teixeira de Paula diz que está disposta a trabalhar pela proteção e recuperação da área.

“Quando chegamos aqui no bairro havia muita natureza. Com o tempo e o crescimento, muita coisa foi degradada. Precisamos recuperar e preservar o que sobrou. Queremos plantar, arborizar, isso vai melhorar nossa qualidade de vida, valorizar nosso bairro. Estou disposta a ajudar”, salienta Eleuza.

Prefeitura confirma que área é protegida e diz que não autorizará ocupação

Em nota divulgada no início da tarde desta segunda-feira (05), a Prefeitura da Serra confirmou que o PDM atribui à aquela área o status de Zona de Proteção Ambiental. Disse que leis federais também protegem o local, por isso está proibida sua exploração comercial.

Aspecto da mata no final da rua Jasper em São Patrício. Foto: Divulgação

Porém não pretende elevar o local à condição de unidade de conservação – como é por exemplo o Mestre Álvaro e a lagoa Jacuném – por considerar que a área não atende aos critérios para a implantação.

Na nota a Prefeitura diz também que não deve implantar um parque de lazer ali, por se trata de um fundo de vale importante para drenar a água. Acrescenta ainda que a indicação da Secretaria de Meio Ambiente (Semma) é pela não ocupação da área.

Por fim, a Prefeitura diz que a fiscalização ambiental visita estes locais com frequência. Denúncias podem ser feitas através dos telefones: 3291-7435 / 99951-2321. O horário de atendimento é entre 8 e 18 horas, de segunda à sexta-feira. E-mail: [email protected].

Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!