25.5 C
Serra
sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Mesmo após denúncias, ônibus e terminais continuam lotados: passageiros temem contaminação

Leia também

Serra registra 131 novos casos de Covid-19 em 24 horas

Serra registrou 131 novos casos de pessoas contaminadas com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo dados do...

Em perseguição na Abdo Saad, em Jacaraípe, polícia recupera moto roubada

Na noite da última quinta-feira (24), policiais militares que faziam ronda recuperaram uma  moto roubada, Honda - modelo CG...

Prefeitura vai entregar obras do Hospital Materno Infantil neste sábado (26)

As obras do Hospital Materno Infantil Drª Maria da Glória Merçom Vieira Cardoso serão entregues neste sábado (26), às...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Terminal de Laranjeiras: aglomerações fazem parte da rotina dos passageiros. Foto: Gabriel Almeida

Mesmo após centenas de denúncias e reclamações sobre a superlotação dos terminais e ônibus do Transcol, a situação continua a mesma: muita aglomeração e alto risco de contágio pelo novo coronavírus. E o trabalhador que depende do transporte público é obrigado enfrentar essa situação diariamente. De acordo com eles, conseguir um ônibus vazio em pleno horário de pico é muito difícil, além dos terminais da Serra e de outras cidades da Grande Vitória que estão sempre lotados.

Atualmente, os passageiros podem realizar denúncias de coletivos cheios ou falta de distanciamento social nos terminais pelo aplicativo “ÔnibusGV”, mas quem usa o serviço afirma que nunca teve uma solução. De Alterosas, o serrano Rafael Meyrelles, precisa enfrentar o problema todos os dias. De acordo com ele, mesmo após fazer várias denúncias para a Ceturb, a situação não muda.

“Os ônibus estão lotados. É um absurdo. Todo dia utilizo as linhas do Terminal de Jacaraípe e de Laranjeiras para Carapina e em horário de pico não dá nem para se mexer dentro do coletivo. Para piorar, os motoristas param em todos os pontos possíveis, mesmo com o carro lotado. Meu maior medo é contaminar meus familiares”, afirmou Rafael.

Vanessa de Souza também sofre com a situação. Moradora de Jardim Tropical, ela utiliza os coletivos diariamente e também frequenta o Terminal de Carapina. “A frota disponível não está dando conta de atender a todos. Eles pedem para gente esperar outro ônibus, mas ele também vem lotado. Fora que todos precisam chegar na hora certa em seu trabalho, caso contrário somos demitidos”, reclama a popular.

O morador de Planalto Serrano também reclama da lotação nos coletivos. “Tenho medo de me contaminar por causa da lotação. Eu ando todo dia no 829 (Planalto Serrano Bloco B) e sempre está lotado. Acredito que nos horários de pico deveria ter muitos mais ônibus circulando”, afirmou o popular.

O que diz a Ceturb?

A Ceturb informou, por meio de nota, que dentro dos terminais a fiscalização, tanto da Ceturb quanto das empresas, atua recomendando que as pessoas não embarquem em veículos que já estejam com a lotação de bancos, mas afirma que entre um terminal e outro, ou entre os bairros e os terminais, essa fiscalização é mais difícil. A Companhia lembrou que foi disponibilizada uma nova função no aplicativo ÔnibusGV para que a população possa denunciar passageiros sem máscaras e viajando em pé. Essas denúncias são utilizadas para nortear as ações de programação das linhas, como já vem ocorrendo.

A nota ainda afirma que o Sistema Transcol vem adotando uma série de medidas para diminuir o risco de contágio no transporte coletivo desde o início das restrições de circulação em decorrência da pandemia. Entre elas estão a distribuição de um milhão de máscaras para passageiros; embarque exclusivo com CartãoGV; recomendação para que passageiros embarquem somente em veículos com assentos disponíveis, marcação das filas nos terminais e recomendação aos passageiros para manutenção do distanciamento mínimo de 1,5 metro.

“Também está sendo feito reforço na higienização dos coletivos com hipoclorito de sódio diluído, conforme orientações da Secretaria da Saúde (Sesa), desinfecção diária  dos terminais e disponibilização de sabonete nos banheiros, afastamento de colaboradores do sistema com mais de 60 anos, com comorbidades ou com sintomas gripais, retirada dos veículos com ar-condicionado de circulação, superdimensionamento da operação para garantir o transporte, minimizando o risco de contaminação, além da distribuição de álcool gel e máscaras para os trabalhadores do sistema.”

“A Companhia volta a fazer um apelo à população para que, se puder, fique em casa e evite aglomerações e, assim, ajude no combate à pandemia do novo coronavírus”, finalizou a nota.

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

Em perseguição na Abdo Saad, em Jacaraípe, polícia recupera moto roubada

Na noite da última quinta-feira (24), policiais militares que faziam ronda recuperaram uma  moto roubada, Honda - modelo CG Titan de cor azul. A ação...

Prefeitura vai entregar obras do Hospital Materno Infantil neste sábado (26)

As obras do Hospital Materno Infantil Drª Maria da Glória Merçom Vieira Cardoso serão entregues neste sábado (26), às 9h30, em Colina de Laranjeiras....

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!