25.7 C
Serra
terça-feira, 25 janeiro - 2022
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 71.679 casos
  • 1.485 mortes
  • 69.752 curados

Merendeiras alimentam alunos da Serra e em troca comem marmita com metal servida por terceirizada

Leia também

Acidentes com vítimas fatais na Serra reduziram em 15% de 2020 para 2021

A Serra perdeu 53 moradores em acidentes de trânsito em 2021. O número mostra uma redução de 15% em...

Grupo Tigre vai abrir filial na Serra, gerar centenas de empregos e aquecer economia

O Grupo Tigre, um dos maiores players mundiais no setor da construção civil e saneamento, anunciou a instalação de...

Serra faz ação para testar moradores de rua e abrigos contra Covid-19

A Serra está passando por um aumento explosivo de casos de Covid-19 nos últimos dias e pensando em controlar...
Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Uma das merendeiras encontrou uma porca de parafuso na marmita servida pela empresa Soluções, que é a responsável pela alimentação das contratadas. Foto: divulgação

As marmitas de péssima qualidade que vem sendo distribuídas para as merendeiras que atuam nos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei/Creche) voltaram a causar polêmica. Isso porque, além de fria e revirada, a comida veio com uma surpresa indesejável: uma porca de parafuso no meio dos alimentos.

O caso aconteceu na creche Letícia Pedro, em Jacaraípe, e foi denunciado na Câmara da Serra durante sessão realizada na última quarta-feira (1), pelo vereador Wellington Alemão. De acordo com ele, as marmitas já estão vindo com qualidade duvidosa e agora uma merendeira por pouco não comeu uma porca de parafuso.

“As merendeiras fazem uma comida muito boa para as crianças, sempre com amor e carinho, mas recebem marmitas de má qualidade. E nesses dias, receberam uma porca de parafuso dentro da comida”, denunciou.

E essa não é a primeira vez que as merendeiras denunciam a péssima qualidade do almoço que vem recebendo. Recentemente, o Jornal Tempo Novo mostrou que elas classificam o alimento recebido como ‘lavagem’, pois sempre está frio e revirado.

Para quem não sabe, as merendeiras, mesmo fazendo o alimento que é servido aos estudantes das instituições municipais, não podem comer da mesma comida. O almoço delas é entregue em forma de marmita via contrato com uma empresa terceirizada contratada pela Prefeitura da Serra, a Soluções Serviços Terceirizados Eireli

A reportagem entrou em contato com a empresa Soluções. Por meio de nota, a terceirizada se limitou a dizer que está apurando os fatos e debatendo o tema em reuniões com o Sindicato da Classe.

Já a Secretaria de Educação da Serra (Sedu) informou que as merendeiras que trabalham no município são funcionárias de empresa contratada para prestação do serviço, responsável pelo pagamento de seus salários e garantia de seus benefícios, como é o caso da marmita.

Disse ainda que a fiscalização do município sobre a empresa contratada, refere-se exclusivamente ao serviço que é prestado nas unidades de ensino, objeto do contrato. No entanto, a Secretaria afirmou que terá mais uma reunião com a empresa contratada, para tentar colaborar com a resolução do problema citado.

Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!