• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 64.837 casos
  • 1.366 mortes
  • 62.968 curados
11.4 C
Serra
sexta-feira, 25 junho - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 64.837 casos
  • 1.366 mortes
  • 62.968 curados

Indústrias e lojas serão obrigadas a receber embalagens e restos de tintas na Serra

Leia também

Câmara aprova prorrogação dos contratos dos professores em designação temporária

Após um intenso debate e com placar apertado de 10 votos favoráveis e 9 contrários, a Câmara da Serra...

Fortlev abre novas vagas de emprego para moradores da Serra

Líder nacional em soluções para armazenamento de água, a Fortlev abriu novas vagas de emprego para moradores da Serra....

Site de vacina da Serra recebeu 4 milhões de acessos simultâneos; número é maior que população do ES

Quatro milhões e 487 mil. Esse é o número de acessos simultâneos que o site da Prefeitura da Serra...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

O PL 140/2019, do vereador Ericson Teixeira Duarte (Rede), tem como prioridade, segundo ele, a preservação do meio ambiente. Foto: Pixabay

Empresas fabricantes de tintas, vernizes e solventes de uso domiciliar ou doméstico ficarão obrigadas a aceitar recipientes com sobras desses materiais para reciclagem dos mesmos ou dar destinação final adequada aos produtos na Serra. É o que estabelece um Projeto de Lei (PL) que foi aprovado na sessão da Câmara Municipal do último dia 6.

O PL 140/2019, do vereador Ericson Teixeira Duarte (Rede), tem como prioridade, segundo ele, a preservação do meio ambiente.

O parlamentar quer, ainda, que os materiais não sejam descartados nem por consumidores. A proposta engloba fornecedores e comerciantes, além dos fabricantes. “Comerciantes e fabricantes ficam obrigados a manter a regularidade no recolhimento dos recipientes que receberão os produtos”, diz a lei.

O descarte comum de restos de tinta, solvente e verniz não poderá ser feito pelo serviço de coleta de lixo domiciliar. A recusa do recebimento dos materiais para o descarte e posterior reciclagem pode, inclusive. gerar multa de R$ 1 mil em primeira autuação e, em caso de reincidência, de R$ 5 mil. Sendo autuado pela terceira vez, a multa pode chegar a R$ 10 mil e, além disso, a empresa poderá ter sua licença de funcionamento cassada.

As denúncias poderão ser feitas para a fiscalização da Secretaria de Meio de Ambiente da Serra. Para entrar em vigor, o projeto de lei precisa ser aprovado pelo prefeito Audifax Barcelos (Rede).

“O descarte inadequado é um problema das grandes cidades e vem exigindo cada vez mais políticas públicas e educativas por parte dos governantes. Entulhos e sobras de tinta são jogados em córregos, rios, ruas e até mesmo em pias domésticas sem cuidado algum. O descarte indevido desses materiais pode ser absorvido pelo solo ou atingir águas subterrâneas, contaminando o lençol freático; assim como o descarte em bueiros, pias e tanques pode levar para a rede fluvial, contaminando cursos d’água”, justifica o vereador.

Confira aqui o projeto de lei.

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!