• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados
25.4 C
Serra
quinta-feira, 13 maio - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados

Homem dá ‘facãozada’ na cabeça de cachorra na Serra | Veja vídeo

Leia também

Festival apresenta 12 atrações musicais capixabas de diferentes estilos e linguagens

Doze atrações musicais capixabas com performances que entregam grito por diversidade e liberdade. E mais: dança, rock, fala, hip...

De mochilão e bicicleta, amigos vem pedalando da Argentina para conhecer belezas da Serra

Imagine conhecer o litoral brasileiro dando muitas pedaladas? Uma aventura e tanto, não é? Em busca da liberdade e...

Com investimento de mais de R$ 2 milhões, Fapes abre inscrições para bolsistas

Um investimento de R$ 2,1 milhões será destinado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Nina foi socorrida, levada ao veterinário e está internada recebendo todos os cuidados necessários. Foto: Divulgação

Quem olha para a cadela Nina não imagina o horror que ela enfrentou nas ruas de um bairro da Serra. A cachorra foi agredida por um homem com golpes de facão na cabeça no bairro Serra Dourada III. A agressão aconteceu no último dia 9 de abril, uma sexta-feira.

Quem conta é uma moradora que não quis se identificar por medo de represálias. Segundo ela, a ocorrência foi na Avenida Salvador e a cadela tem doze anos, é dócil e nunca mordeu ou agrediu ninguém do bairro. “Nina foi socorrida, levada ao veterinário e está internada recebendo todos os cuidados necessários”, adianta.

O caso foi registrado por moradores por meio de vídeo e fotos e o homem será denunciado por maus-tratos, com a ajuda do deputado serrano Vandinho Leite, que mora no bairro Porto Canoa, próximo do local onde ocorreu a agressão a cadela.

“Quem comete uma atrocidade dessas contra um animal totalmente indefeso nem pode ser chamado de ser humano, mas, sim, de monstro. Como vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-Tratos Contra Animais, da Assembleia, e também como cidadão que ama os animais, eu não poderia ter atitude diferente senão a de encaminhar denúncia à CPI e à Polícia Civil, para que esse criminoso seja identificado, investigado e punido o quanto antes”, disse Vandinho.

A moradora disse que o agressor estava bêbado e quando ele passou na rua, a cadela, que é um animal semi-domiciliado, ou seja, tem casa, mas eventualmente tem acesso a rua,  latiu como de costume, mas não avançou no homem. “Ele estava totalmente alterado, alcoolizado. A Nina latiu como todo cachorro faz e como ele estava alcoolizado deve ter achado que ela iria morder e atiçou a cachorra. Ele disse que ela mordeu, mas até agora não mostrou a mordida. Foi ai que ele falou que a cadela não era de ninguém e que ia pegar um facão e que ia abrir ela no meio”, disse.

Segundo ela, ninguém achou que o homem fosse cumprir o prometido. “Em questão de cinco minutos ele apareceu, transtornado, passando o facão no portão do vizinho da chácara, falando cadê ela que vou matar agora. A Nina viu ele entrou para dentro da chácara, ele veio atrás dela e golpeou com o facão a cabeça dela. Meu filho de sete anos estava perto e presenciou tudo, ficou horrorizado”, detalha a moradora.

A cadela Nina, era da mãe da moradora em questão que faleceu há dois anos. E segundo, ela, Nina foge e vai para rua. Ela nunca mordeu ninguém e todos os vizinhos daqui gostam dela, ajudam a cuidar” .

Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há 25 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!