22.6 C
Serra
segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Hartung x Casagrande, Audifax x Vidigal

Leia também

Serra está há dois dias sem registrar mortes causadas pelo coronavírus, diz Estado

Mesmo seguindo na liderança do número de mortes causadas pela Covid-19 no Espírito Santo, a Serra não registra moradores...

Candidatura de Bruno Lamas é teste de popularidade do Governo nas eleições 2020

Os resultados das eleições de novembro, na Serra, podem ser a resposta do povo às ações do Governo do...

Políticos capixabas lamentam marca dos 100 mil mortos por coronavírus no Brasil

Políticos de todo o país manifestaram preocupação com o avanço do número de mortos em decorrência da Covid-19. O...
Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Por Yuri Scardini

Passado o carnaval, as movimentações políticas devem ficar cada vez mais escancaradas. Principalmente aquelas envolvendo os dois principais protagonistas do cenário político da Serra: o prefeito Audifax Barcelos (Rede) e o deputado federal Sérgio Vidigal (PDT), que já sentou três vezes na principal cadeira do executivo serrano.

As velhas dúvidas se mantêm: o deputado estadual Bruno Lamas (PSB) realmente será ou não candidato? Vandinho Leite (PSDB) deslancha ou vai ter uma candidatura nanica? O PT vai continuar escondido ou vai colocar a cabeça para fora da toca?

Há também novas conversas de bastidores ganhando força. Uma delas é a de que o governador Paulo Hartung (PMDB) estaria fazendo grande pressão sobre Sérgio Vidigal para que o pedetista não dispute a prefeitura com o intuito de não criar um palanque para o ex-governador Renato Casagrande (PSB), pois uma vez deflagrada a disputa eleitoral entre Audifax e Vidigal, naturalmente Hartung teria que escolher um lado, o que abriria caminho para a voz do rival Casagrande ser novamente ouvida no eleitorado do outro lado da disputa na Serra.

É uma conversa que faz sentido, visto o esforço que Hartung tem feito em Vitória para sufocar a voz do pré-candidato e atual prefeito Luciano Rezende (PPS), aliado público de Casagrande. Hartung articula lançar na capital de três a quatro candidatos de peso para digladiar contra Luciano.

De todo modo, essa é uma conversa que pode interessar a Serra. Usar a rixa de Hartung e Casagrande como um trampolim para as lideranças serranas ascenderem no espectro político estatual.

Caso a especulação seja verdadeira e venha a ocorrer, uma aproximação entre os dois titãs Audifax e Vidigal ficaria engatilhada. E aí a Serra não correria o risco de perder uma liderança em Brasília da envergadura de Sérgio Vidigal. Ao mesmo tempo o ex-prefeito poderia sair politicamente mais fortalecido, sendo inclusive um nome viável para um projeto estadual.

Já Audifax teria uma reeleição bem mais tranquila e mais quatro anos para mostrar se realmente será capaz de alçar voos maiores.

Comentários

Gabriel Almeidahttps://www.portaltemponovo.com.br/
Morador da Serra, Gabriel Almeida é repórter do Tempo Novo há mais de quatro anos. Atualmente, o jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Mais notícias

Candidatura de Bruno Lamas é teste de popularidade do Governo nas eleições 2020

Os resultados das eleições de novembro, na Serra, podem ser a resposta do povo às ações do Governo do Estado durante a pandemia do...

Políticos capixabas lamentam marca dos 100 mil mortos por coronavírus no Brasil

Políticos de todo o país manifestaram preocupação com o avanço do número de mortos em decorrência da Covid-19. O governador Renato Casagrande (PSB) usou...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!