27.4 C
Serra
domingo, 19 de janeiro de 2020

Gatos também podem ter artrose, você sabia?

Leia também

Novo surto de dengue | Confira a ‘Charge do TN’ desta semana

Um aviso emitido pelo Ministério da Saúde deixou diversos municípios capixabas em alerta, inclusive a Serra. Isso porque 11...

Poesia e música no Centro Cultural, em São Diogo, neste sábado

Neste sábado (18), às 18 horas, acontece a primeira edição do Sarau do Beco do Centro Cultural Eliziário Rangel,...

Prazer, sou doutor – Confira ‘O Nó da Gravata’ desta sexta

A coluna 'O Nó da Gravata' é escrita pela repórter de política, Maria Nascimento. Os textos são publicados...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

Pesquisas relatam que 22% dos gatos com mais de 1 ano de idade e 90% dos gatos com mais de 12 sofrem com algum grau de artrose. Foto: Agência Brasil

Gatinhos também podem apresentar  artrose,  que cientificamente é  chamada de doença articular degenerativa. É uma doença bem comum nos felinos. Pesquisas relatam que 22% dos gatos com mais de 1 ano de idade e 90% dos gatos com mais de 12 sofrem com algum grau de artrose.

Apesar de ser difícil  identificar pelos tutores pois os felinos apresentam poucos sinais e seu porte ser menor e mais ágil, comparado aos cães; a doença atinge boa parte dos felinos e deve ser levada a sério.

Ela é  caracterizada pela degeneração crônica da cartilagem e dos ossos ao redor das articulações e gera dor, desconforto e rigidez, muitas vezes limitando os movimentos e podendo gerar inclusive agressividade nos felinos.

Ocorre com mais frequência em bichanos acima do peso, sendo os  cotovelos as  regiões mais atingidas, porém, os joelhos, coluna e quadril também podem ser acometidos.

As causas podem ser diversas, por isso a importância do diagnóstico do médico veterinário.

O diagnóstico é feito com a avaliação veterinária e  exames de imagem. O tratamento depende da causa principal que pode ser medicamentoso, cirúrgico ou através de fisioterapia e acupuntura.

A artrose  não tem cura, mas é  tratável, e com o tratamento correto o bichano pode ter muita qualidade de vida.

O importante é iniciar o tratamento o mais precocemente possível para evitar a progressão da doença. Caso seu gatinho apresente alguma dificuldade de locomoção, para se levantar, pular, caso apresente lambedura excessiva em alguma região ou agressividade quando você encosta em alguma parte do corpo leve-o ao médico veterinário. Lembre se, quanto mais cedo o diagnóstico melhor o prognóstico.

Por Patrícia Ribeiro de Oliveira, médica veterinária da Climev Laranjeiras

Comentários

Mais notícias

Poesia e música no Centro Cultural, em São Diogo, neste sábado

Neste sábado (18), às 18 horas, acontece a primeira edição do Sarau do Beco do Centro Cultural Eliziário Rangel, em São Diogo. O evento...

Prazer, sou doutor – Confira ‘O Nó da Gravata’ desta sexta

A coluna 'O Nó da Gravata' é escrita pela repórter de política, Maria Nascimento. Os textos são publicados todas as sextas-feiras na edição...

Acabou o tempo de Audifax | Leia o editorial do Tempo Novo

Por Yuri Scardini  Está marcado para logo após o Carnaval (final de fevereiro) a revelação do prefeito Audifax Barcelos (Rede) sobre o escolhido para defender...

Apocalipse das águas | Leia o editorial do Tempo Novo

Por Bruno Lyra Estudo do pesquisador Ângelo Fraga Bernardino, do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), confirmou a contaminação crônica por...

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!