26 C
Serra
segunda-feira, 06 de abril de 2020

Fogo gigante é normal e só lança dióxido de carbono e vapor d’água, diz ArcelorMittal Tubarão

Leia também

Serra tem mais dois casos de coronavírus e doença cresce 7% em um dia no ES

A Serra tem mais dois casos confirmados do novo coronavírus, saltando de 31 para 33 o número de pacientes...

Casagrande nomeia Alexandre Ofranti para a Secretaria de Segurança

O coronel da Polícia Militar do Espírito Santo (PM-ES), Alexandre Ofranti Ramalho, assume nesta terça-feira (7) o posto de...

Serra registra 2 mil moradores infectados por dengue e intensifica combate

Com risco de ter um novo surto de dengue neste ano, a Serra já registrou 2.402 casos da doença...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

A labareda, visata de Morada de Laranjeiras, está à direita do prédio na linha do horizonte. Foto: Divulgação/Internauta

A labareda de fogo gigante vista principalmente à noite no complexo industrial de Tubarão acontece na área da ArcelorMittal e é normal, sendo um processo de controle ambiental, segunda a empresa.

Em nota enviada a reportagem na última quinta-feira (05), a siderúrgica afirmou que o fogo é resultado da queima de gases não recuperados da Aciaria. Questionada que tipo de gases são emitidos no ar com esta queima, a ArcelorMittal Tubarão afirmou que apenas dióxido de carbono (CO2) e vapor d’água.

A empresa acrescentou que o procedimento é licenciado. A labareda pode ser vista por diversos pontos da região metropolitana da Grande Vitória. Tanto que na última terça-feira (03) um internauta fez o registro do apartamento onde reside em Morada de Laranjeiras.

Confira a explicação da ArcelorMittal, enviada através de nota ao Tempo Novo.

A imagem recebida demonstra a chama do queimador da Aciaria, o qual é um dispositivo de engenharia projetado e licenciado para queima controlada do gás da unidade operacional. A unidade operacional possui implementado projeto de eficiência energética com o sistema de recuperação do gás LDG, gás da Aciaria, aproveitando o seu potencial na geração de energia elétrica. Durante períodos específicos do processo, a composição do gás inviabiliza o seu aproveitamento para geração de energia, dessa forma, o gás não recuperado é queimado no referido equipamento. Esta queima é considerada um controle ambiental e dispositivo de segurança aplicado para eliminar a presença do monóxido de carbono (CO) que se faz presente no gás. Com a combustão controlada, seus produtos de queima são Dióxido de Carbono e Vapor de Água.

Erramos

Em matéria sobre o assunto publicada em nossa edição impressa na última sexta-feira (06), havíamos informado, equivocadamente, que a ArcelorMittal Tubarão tinha dito que a chama gigante lançava dióxido de enxofre (SO2) na atmosfera. Na verdade a siderúrgica disse que lançava neste processo apenas vapor d’água (H2O) e dióxido de carbono (CO2).

Vale ressaltar que há sim lançamento de enxofre no ar durante a produção de aço da ArcelorMittal no complexo de Tubarão, conforme o Inventário de Fontes de Emissões Atmosférica da Grande Vitória publicado pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) em julho de 2019.

Mas, em nenhum momento, a assessoria de imprensa da siderúrgica disse que as emissões de enxofre também acontecem na queima de gases da Aciaria, procedimento que produz a chama gigante, objeto de abordagem desta matéria.

 

Comentários

Mais notícias

Casagrande nomeia Alexandre Ofranti para a Secretaria de Segurança

O coronel da Polícia Militar do Espírito Santo (PM-ES), Alexandre Ofranti Ramalho, assume nesta terça-feira (7) o posto de secretário de Segurança Pública. Ramalho substitui...

Serra registra 2 mil moradores infectados por dengue e intensifica combate

Com risco de ter um novo surto de dengue neste ano, a Serra já registrou 2.402 casos da doença somente em 2020. Felizmente, sem...

Em meio à pandemia, EDP vai deixar bairros da Serra sem energia

A pandemia gerada pelo novo coronavírus não está impedindo que a EDP Espírito Santo suspenda energia de bairros da Serra. Durante esta semana, muitas...

Número de pacientes curados do coronavírus sobe para 38 no ES

Dos 194 casos confirmados de coronavírus no Espírito Santo, 38 pacientes já estão curados da doença. A afirmação é da Secretaria de Estado da...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!
Precisa falar com o Tempo Novo? Envie sua mensagem