24.7 C
Serra
sábado, 18 de janeiro de 2020

Fisiologismo, populismo e periferia política

Leia também

Novo surto de dengue | Confira a ‘Charge do TN’ desta semana

Um aviso emitido pelo Ministério da Saúde deixou diversos municípios capixabas em alerta, inclusive a Serra. Isso porque 11...

Poesia e música no Centro Cultural, em São Diogo, neste sábado

Neste sábado (18), às 18 horas, acontece a primeira edição do Sarau do Beco do Centro Cultural Eliziário Rangel,...

Prazer, sou doutor – Confira ‘O Nó da Gravata’ desta sexta

A coluna 'O Nó da Gravata' é escrita pela repórter de política, Maria Nascimento. Os textos são publicados...
Redação Jornal Tempo Novohttp://WWW.portaltemponovo.com.br
O Tempo Novo é da Serra. Fundado em 1983 é um dos veículos de comunicação mais antigos em operação no ES. Independente, gratuito, com acesso ilimitado e ultra regionalizado na maior cidade do Estado.

Yuri Scardini

Está cada vez mais intensa a conversa de bastidor de que o deputado federal Amaro Neto (PRB) pode ser candidato a prefeito da Serra. Para alguns, pode parecer uma informação irreal, que é justificável pelo caráter fisiológico deste fato. Mas fisiologismo e política têm andado de mãos dadas já há algum tempo – e é uma das origens da crise de representação brasileira.

Feita a observação, eleitoralmente, Amaro na Serra faz todo sentido. Este município tem inclinação ao populismo (seja de direita ou de esquerda): cidade com PIB alto, mas com renda per capita baixa; população conservadora, com forte influência do neopentecostalismo; e forjada através de processos de imigração em massa e desorganizada, que gerou um subproduto de ausência coletiva do sentimento de pertença e identidade local.

No campo mais objetivo, Amaro sempre vai partir na dianteira em qualquer pesquisa de intenção de voto para qualquer cidade capixaba. Por isso, a preocupação do deputado é ser desconstruído, assim como foi feito em Vitória na eleição de 2016. Na Serra, não tem programa eleitoral na TV. A eleição é na rua e na internet, duas searas que Amaro domina.

O cenário político também contribuiu muito: depois de 12 anos, encerrou-se um ciclo de disputa direta entre Audifax e Vidigal, e este último, que ainda pode ser candidato, perdeu muita capilaridade eleitoral.

Mas a quem interessa uma candidatura de Amaro na Serra? A resposta é cristalina: para todos… de fora da Serra, é claro. Interessa para o PSL, de Carlos Manato, já que desobstrui a eleição de Vitória e torna o bolsonarista favorito – de acordo com recentes pesquisas eleitorais divulgadas.

Interessa ao PT, do ex-prefeito Coser; ao PSB, do governador Renato Casagrande; ao PPS, do prefeito Luciano Rezende; ao próprio PRB, do presidente da Assembleia, Erick Musso. Enquanto isso, lideranças da Serra – maior economia do ES – são passadas para trás como se fossem descartáveis. Será que o contexto político de Vitória vai atropelar a Serra?

Comentários

Mais notícias

Poesia e música no Centro Cultural, em São Diogo, neste sábado

Neste sábado (18), às 18 horas, acontece a primeira edição do Sarau do Beco do Centro Cultural Eliziário Rangel, em São Diogo. O evento...

Prazer, sou doutor – Confira ‘O Nó da Gravata’ desta sexta

A coluna 'O Nó da Gravata' é escrita pela repórter de política, Maria Nascimento. Os textos são publicados todas as sextas-feiras na edição...

Acabou o tempo de Audifax | Leia o editorial do Tempo Novo

Por Yuri Scardini  Está marcado para logo após o Carnaval (final de fevereiro) a revelação do prefeito Audifax Barcelos (Rede) sobre o escolhido para defender...

Apocalipse das águas | Leia o editorial do Tempo Novo

Por Bruno Lyra Estudo do pesquisador Ângelo Fraga Bernardino, do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), confirmou a contaminação crônica por...

Você também pode ler

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!