[secondary_title]

Escritora capixaba lança livro de poesias sobre as profundezas da experiência humana

- PUBLICIDADE-
Queiróz habilmente navega entre uma variedade de emoções e experiências: traumas, paixões ardentes, desilusões cortantes, erotismos envolventes. Crédito: Divulgação

Em um cenário literário vibrante, surge uma nova voz poética que promete tocar profundamente a alma humana. “Contusão”, a mais recente obra de Ríssiani Queiróz, é um livro de poesias que não apenas entrelaça palavras, mas também mergulha nas profundezas da experiência humana, explorando temas de violência, integridade, paixão e desilusão.

“Contusão” é mais do que uma coleção de poemas; é uma jornada sensorial e emocional. Neste livro, Queiróz habilmente navega entre uma variedade de emoções e experiências: traumas, paixões ardentes, desilusões cortantes, erotismos envolventes. Há uma revelação crua de corpos marcados por ressentimentos, mas ainda assim curiosos e persistentes na busca por significado na vida. Inspirada pela sabedoria transformadora de Audre Lorde, especialmente em “Transformação do Silêncio em Linguagem e Ação”, Queiróz tece uma tapeçaria poética que reflete sobre situações cotidianas, desde o ambiente doméstico até as ruas, saraus e bares.

+ Inscrições abertas para oficina de teatro, manequim e modelo de graça na Serra

Ríssiani Queiróz, uma figura polivalente no mundo artístico, é conhecida por suas múltiplas facetas como comerciante, crocheteira, fanzineira, performer e passista. Nascida aos pés do Monte Moxuara, em Cariacica/ES, ela carrega a riqueza de ser neta de avós contadoras de histórias. Desde 2013, Queiróz tem compartilhado seus escritos, inicialmente no Coletivo de Literatura MarginalES, e expandindo sua presença em saraus, batalhas de poesia, encontros estudantis e sociais por todo o Brasil.

Uma Trajetória de Expressão Artística

A trajetória artística de Queiróz é repleta de contribuições significativas. Ela é autora de diversas fanzines como “Siririquei”, “Madrugadas de Terror”, “Reflexão D’Oxum”, e do livro cartoneiro “Negra Semente”. Além disso, sua arte se faz presente em coletâneas como “Afro-Tons – De Zacimbas a Suelys”, “Antologia Entre Elas”, “Antologia Empretecendo”, e “Zine Zal”. Ela também se destacou em participações como na entrevista “conheci deus e ela é negra”, do canal das Bee, e na web série de poesias “Palavra Negra”.

Em um cenário literário vibrante, surge uma nova voz poética que promete tocar profundamente a alma humana. “Contusão”, a mais recente obra de Ríssiani Queiróz, é um livro de poesias que não apenas entrelaça palavras, mas também mergulha nas profundezas da experiência humana, explorando temas de violência, integridade, paixão e desilusão.

“Contusão” é mais do que uma coleção de poemas; é uma jornada sensorial e emocional. Neste livro, Queiróz habilmente navega entre uma variedade de emoções e experiências: traumas, paixões ardentes, desilusões cortantes, erotismos envolventes. Há uma revelação crua de corpos marcados por ressentimentos, mas ainda assim curiosos e persistentes na busca por significado na vida. Inspirada pela sabedoria transformadora de Audre Lorde, especialmente em “Transformação do Silêncio em Linguagem e Ação”, Queiróz tece uma tapeçaria poética que reflete sobre situações cotidianas, desde o ambiente doméstico até as ruas, saraus e bares.

Ríssiani Queiróz, uma figura polivalente no mundo artístico, é conhecida por suas múltiplas facetas como comerciante, crocheteira, fanzineira, performer e passista. Nascida aos pés do Monte Moxuara, em Cariacica/ES, ela carrega a riqueza de ser neta de avós contadoras de histórias. Desde 2013, Queiróz tem compartilhado seus escritos, inicialmente no Coletivo de Literatura MarginalES, e expandindo sua presença em saraus, batalhas de poesia, encontros estudantis e sociais por todo o Brasil.

Expressão Artística

A trajetória artística de Queiróz é repleta de contribuições significativas. Ela é autora de diversas fanzines como “Siririquei”, “Madrugadas de Terror”, “Reflexão D’Oxum”, e do livro cartoneiro “Negra Semente”. Além disso, sua arte se faz presente em coletâneas como “Afro-Tons – De Zacimbas a Suelys”, “Antologia Entre Elas”, “Antologia Empretecendo”, e “Zine Zal”. Ela também se destacou em participações como na entrevista “conheci deus e ela é negra”, do canal das Bee, e na web série de poesias “Palavra Negra”.

Veja como ter acesso a obra clicando aqui.

Espírito Santo vai receber 58 mil doses de vacina contra a dengue

O Espírito Santo vai receber nesta quinta-feira (22) a primeira remessa de doses das vacinas contra a dengue para o início da imunização das...

Estado abre 300 vagas de cursos técnicos gratuitos; veja como se inscrever

O Governo do Estado abriu, nesta quarta-feira (21), 300 vagas de cursos técnicos gratuitos. As chances estão sendo ofertadas através do programa Bolsa Técnica,...

Cover de Evanescence, banda Hallted, se apresenta pela 1ª vez na Serra neste sábado

Neste sábado (24), às 19 horas, o Mad Rocks, será palco de uma noite memorável para os fãs do rock dos anos 2000. O...

Estado oferta vagas para estudar de graça em faculdades

Estão abertas as inscrições para a lista de espera das mil vagas gratuitas de cursos superiores em faculdades privadas. A iniciativa é do Governo...

Detran anuncia abertura de 7 mil vagas para tirar carteira de motorista de graça

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran), está preparando aproximadamente sete mil vagas para o Programa CNH Social 2024, do Governo do Estado. A 1ª...

Cobra gigante invade casa e deixa moradores desesperados na Serra

Uma cobra invadiu uma casa no bairro Porto Dourado, na Serra, nesta quarta-feira (21). A serpente estava num coqueiro no quintal da residência. Assim que...

Atletas da Serra participam da 25º Volta Internacional da Pampulha em MG

Um grupo da Serra com idade acima dos 60 se prepara para uma grande aventura. Eles se inscreveram para a 25º Volta Internacional da...

Praças de alimentação da Serra devem reservar 5% de vagas para idosos, gestantes e deficientes

  Praças de alimentação situadas em shoppings e restaurantes da Serra terão que reservar 5% de vagas, mesas e cadeiras, para idosos, pessoas com deficiência...