24 C
Serra
terça-feira, 02 de junho de 2020

Escola de Nova Almeida reaproveita água da chuva e do ar condicionado

Leia também

Assaltos a mão armada em Chácara Parreiral assusta moradores

  Moradores de Chácara Parreiral reclamam da quantidade de assaltos que tem acontecido no bairro. Segundo eles, roubos e assaltos a...

Visitas seguem suspensas nas unidades prisionais no mês de junho

A Secretaria da Justiça (Sejus) decidiu manter a suspensão das visitas em todas as unidades prisionais do Estado durante...

Mais de 1.300 moradores da Serra já se curaram da Covid-19

A Serra é a cidade que mais tem casos confirmados da Covid-19 e também lidera o número de mortes...
Ana Paula Bonellihttps://www.portaltemponovo.com.br
Moradora da Serra, Ana Paula Bonelli é repórter do Tempo Novo há mais de 15 anos. Atualmente, a jornalista escreve para diversas editorias do portal.

A escola ganhou a premiação no valor de R$ 4 mil reais. Foto: Divulgação

De Parque Residencial Reis Magos, região de Nova Almeida, a escola municipal Julite Miranda Freitas reaproveita água da chuva, do ar condicionado e adotou outras medidas para reduzir o consumo e desperdício do líquido. As ações são exploradas nas atividades com os alunos e renderam até prêmio nacional para instituição no último dia 06 de novembro.

Segundo o diretor da escola, Keliton Oliveira Ferreira falou que a iniciativa de melhorar a gestão da água começou após a constatação de que o consumo e o desperdício na instituição eram grandes. Para isto, foram necessárias obras e adaptações, que começaram a ser executadas em julho.  

“Começamos a canalizar as saídas de água dos ares-condicionados da escola para uma caixa d’água e esse líquido passou a ser utilizado para regar uma horta que temos aqui. Outra mudança foi a redução do temporizador das torneiras do banheiro e troca das torneiras do bebedouro que estavam vazando”, conta o Keliton.  

Porém a intervenção mais significativa, segundo Keliton, foi a instalação da calha para coletar água da chuva e redirecionar para um reservatório subterrâneo que a escola já tinha mas não era utilizado. “Esta água está sendo usada também para lavar a escola, o que acontece duas ou três vezes por semana. Com isso passamos a ter um trabalho de conscientização da utilização desses recursos”, frisa.

Com as ações adotadas, a escola inscreveu o projeto, que se chama  ‘Da água nascem mil possibilidades: Narrativas Ecológicas e Colagens Transbordantes’, no Prêmio Arcelor Mittal de Meio Ambiente, na categoria Jovem Cientista II. E tirou a 2ª colocação, levando R$ 4 mil para a instituição, numa disputa que envolveu outras escolas capixabas e do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

O diretor destaca ainda que as ações são exploradas no ensino – aprendizagem e que os estudantes fizeram mostra artística sobre o tema e expuseram na Igreja Reis Magos.

Comentários

Mais notícias

Visitas seguem suspensas nas unidades prisionais no mês de junho

A Secretaria da Justiça (Sejus) decidiu manter a suspensão das visitas em todas as unidades prisionais do Estado durante o mês de junho. A...

Mais de 1.300 moradores da Serra já se curaram da Covid-19

A Serra é a cidade que mais tem casos confirmados da Covid-19 e também lidera o número de mortes no Espírito Santo. Até a...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!