22.1 C
Serra
quarta-feira, 08 de julho de 2020

Destruição da Mata Atlântica reduz no ES, mas cresce em outros estados

Leia também

ArcelorMittal vai retomar parte da capacidade produtiva em Tubarão

Maior indústria instalada na Serra e que está com sua capacidade produtiva reduzida à menos da metade, a ArcelorMittal...

Mais de 400 empresas já fecharam na Serra durante a pandemia

Levantamento feito pelo Sebrae/ES junto à Receita Federal, apontou que 442 empresas encerram suas atividades entre o dia 16...

Liderando casos da Covid-19 na Serra, Colina de Laranjeiras registra 357 infectados e três mortos

Desde o início do surgimento de casos confirmados de coronavírus na Serra, Colina de Laranjeiras sempre esteve como um...
Bruno Lyrahttps://www.portaltemponovo.com.br
Repórter do Tempo Novo há mais de 10 anos, Bruno Lyra escreve para diversas editorias do portal, principalmente Economia e Meio Ambiente, das quais é o responsável.

Em tempos onde Brasília age abertamente para reduzir a proteção ambiental no país, uma boa notícia para os capixabas. Houve redução de 31% na destruição da mata Atlântica entre os anos de 2019 e 2018 no Espírito Santo. Já a notícia ruim é que a devastação do bioma cresceu no Brasil. A informação é do Atlas da Mata Atlântica, cuja atualização foi publicada nesta quarta-feira (27)

No território capixaba, a perda foi de 13 hectares. Entre 2017 e 2018, havia sido de 19 hectares. Segundo dados do Atlas, nos últimos seis anos 540 hectares de mata Atlântica foram derrubados no estado.

O número pode ser considerado preocupante porque a Mata Atlântica, que outrora já cobriu todo o ES, sobrou em apenas 10,5% do território. Até São Paulo e Rio de Janeiro tem mais florestas, tanto em números absolutos quanto em relativos.

Área próxima à Muribeca, Serra, em que houve desmate para implantação do Contorno do Mestre Álvaro. Foto: Bruno Lyra – 03/03/20

Os 540 hectares representam pouco menos de 1% do território do município da Serra, onde também houveram desmatamentos no período.  Alguns deles ocorreram em 2019 ao longo do trecho entre São José do Queimado e Muribeca, para a implantação da rodovia do Contorno do Mestre Álvaro (BR 101), obra esperada pela cidade há anos.

Licenciador da obra, o Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) informou que 34,7 hectares de fragmentos florestais foram derrubados para a implantação da obra, que segue acontecendo durante a pandemia e tem conclusão prevista para 2021.

Segundo a assessoria de imprensa do Iema, os responsáveis pela obra, que é federal, depositaram R$ 375 mil no Fundágua, que entre outras ações promove reflorestamentos.

A Área de Proteção Ambiental (APA) do Mestre Álvaro, que fica ao lado e está sendo impactada pela nova estrada, também recebeu R$ 641 mil. Responsável pela APA, a Prefeitura da Serra informou em março que o dinheiro será usado para atualizar o cadastro fundiário do Mestre Álvaro.

Minas, Bahia e Paraná lideram destruição da floresta

O Atlas mostrou também que somados os desmates ocorridos em todos os estados que têm mata Atlântica, a floresta perdeu 14,5 mil hectares entre 2018 e 2019. Um aumento de 27,2% em relação ao período anterior (2017/2018).

Lideraram a destruição os estados de Minas Gerais (5 mil hectares), Bahia (3,5 mil hectares) e Paraná (2,7 mil hectares).

O Atlas é feito pela ong Fundação SOS Mata Atlântica em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Este ano o estudo teve execução técnica da Arcplan e patrocínio de Bradesco Cartões.

 

Comentários

Mais notícias

Mais de 400 empresas já fecharam na Serra durante a pandemia

Levantamento feito pelo Sebrae/ES junto à Receita Federal, apontou que 442 empresas encerram suas atividades entre o dia 16 de março – data em...

Liderando casos da Covid-19 na Serra, Colina de Laranjeiras registra 357 infectados e três mortos

Desde o início do surgimento de casos confirmados de coronavírus na Serra, Colina de Laranjeiras sempre esteve como um dos bairros líderes no ranking...

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

Comentários
close-link
close-link
CLIQUE AQUI e receba as principais noticias sobre o coronavírus na Serra e no ES pelo seu WhatsApp
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!