• CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados
23.3 C
Serra
quarta-feira, 12 maio - 2021
  • CORONAVÍRUS NA SERRA:
  • 57.848 casos
  • 1.210 mortes
  • 55.783 curados

ES perde Cariê Lindenberg, ícone do jornalismo capixaba e da liberdade de expressão

Leia também

Em 24h, Serra perde mais 9 moradores para o coronavírus e registra 322 novos infectados

A Serra atingiu, no final da tarde desta quarta-feira (12), a triste marca de 1.210 moradores que morreram por...

Prefeitura da Serra abre 3.500 vagas para vacinação contra gripe nesta quarta

A Prefeitura da Serra, através da Secretaria Municipal de Saúde (Sesa), vai abrir 3.500 novas vagas de vacinação contra...

Parceria entre Prefeitura e Sebrae quer capacitar lideranças e contribuir para o turismo da Serra

Fortalecer municípios que possuem pontos turísticos no Espírito Santo. Esta é a intenção da parceria que o Sebrae está...
Eci Scardini
Fundador do Jornal Tempo Novo, Eci Scardini também escreve para editorias do portal.

Morreu Cariê Lindenberg, presidente da Rede Gazeta. Foto: divulgação Rede Gazeta

05 de abril de 2021 ficará gravado como o dia em que foi registrada a maior perda humana na história do jornalismo do Espírito Santo.

Morreu aos 85 anos, Carlos Fernando Lindenberg Filho, o Cariê, vitimado por complicações de uma pneumonia.

Cariê era presidente do Conselho de Administração da Rede Gazeta e esteve à frente da direção da empresa de 1965 a 2001; período em que foi registrado um salto de importância do principal grupo de comunicação do Estado, quando foi implantada a TV Gazeta.

Cariê era um homem de muitas verteduras: empresário, escritor, músico e jornalista por vocação; setores por ondem jorram grande respeito, admiração e carinho por ele.

Árduo defensor da liberdade de expressão e do bom jornalismo. Não hesitava em encarar uma boa briga e até mesmo o cano de um revólver para defender esses ideais.

Figura carismática, alegre, contador de história. Deixa um importante legado nas esferas da comunicação, assistidas, lidas e ouvidas de norte a sul desse Estado.

Deixa obras literárias que já fazem parte do acervo histórico do Espírito Santo; nas quais encontram-se registradas importantes passagens políticas das últimas décadas. Deixa também composições musicais, que era o seu hobbies, onde praticava momentos de exaltação.

Mas deixa principalmente uma família estruturada e vocacionada para perpetuar na esfera da comunicação, pautados no compromisso e responsabilidade com o bom jornalismo, princípios que fizeram da Rede Gazeta ser uma das grandes empresas de comunicação do país.

Eci Scardini
Fundador do Jornal Tempo Novo, Eci Scardini também escreve para editorias do portal.

VOCÊ TAMBÉM PODE LER

CONTEÚDO PATROCINADO

close-link
error: Não copie! Compartilhe o conteúdo!